Como prometido estou de volta para contar mais um pouco da aventura que vivemos com o Ric e a Nina, que acabaram se tornando nossos namorados e com quem até hoje nos encontramos. Pois, depois daquela noite no motel a relação, tanto nossa, minha e da Claudia, como deles, Nina e Ric, e dos 4 como um todo, mudou completamente. Em casa passamos a ser muito mais íntimos e cumplices do que já éramos, dividindo fantasias, desejos e relatos do que nos acontecia no dia-a-dia da relação a 4. Ainda não estávamos namorando oficialmente os 4, mas nos falávamos todos os dias pelo telefone, pela Internet. O Ric passava o dia todo me mandando mensagens com filmes de putaria e eu retribuía, com a diferença de que os dele quase todos eram heterossexuais ou com bi feminino e os que eu enviava a ele era com bi masculino, quase sempre um casal e mais um homem, ou dois casais transando os 4 entre si, ou ainda alguns com transexuais, o que confesso que sou fascinado para experimentar.


Já elas combinavam de se encontrar algumas tardes e saiam para tomar um café ou fazer algumas compras. Passamos cerca de dois ou três finais de semana sem oportunidade de nos encontrarmos pessoalmente os 4, mas a Claudia me confidenciou que a segunda vez que elas se encontraram, quando a Nina foi cumprimentar a Claudia fez com que a boca dela roçasse a da Claudia como deixando claro que queria dar um selinho. A Claudia contou que ficou louca de tesão e que se não estivessem em uma cafeteria teria dado um arreto na Nina, mas que mesmo estando sentadas em um local mais afastado não teria como fazer. Elas conversaram sobre tudo e principalmente sobre sexo, sobre como tinha sido a nossa última experiência e como estava sendo a cumplicidade, as fantasias e as descobertas entre os dois casais depois do encontro. Contou que uma hora ela foi ao banheiro e quando entrou no reservado, tirou a calcinha percebeu que estava toda molhada de tesão. Quando voltou para a mesa as duas resolveram ir embora e como a Cláudia estava a pé, a Nina ofereceu uma carona para ela até em casa, e que ao pararem na frente de casa continuaram um tempo conversando até que na hora de a Claudia ir embora as duas trocaram um beijo por alguns minutos dentro do carro, com direito a passada de mão por todo o corpo, aproveitando que a nossa rua não tem muito movimento e que o carro da Nina tem filme protetor escuro. A noite, durante o jantar, quando a Claudia me contou eu adorei a novidade e não precisa dizer que demos mais uma boa foda, com ela comentando o quanto tinha adorado. Eu como estava louco de tesão, uma vez mais gozei como nunca e aproveitei para chupar a buceta dela toda galada. As duas repetiram a brincadeira por mais umas 3 vezes durante as semanas em que os 4 não nos encontramos. Já era comum as duas se encontrarem e, sempre que não tinha alguém a volta, ao invés de trocarem beijos no rosto davam um selinho


Numa das noites que nos encontramos combinamos de fazer os exames médicos para nos despreocuparmos quanto a possíveis doenças e na mesma semana providenciamos, combinando de no próximo encontro levarmos os resultados.


No primeiro final de semana que não tínhamos compromisso, marcamos mais um encontro com os amigos no mesmo restaurante que da última vez. Passamos na casa deles para pegá-los, já que ficava no caminho, e ao entrarem no carro a Nina deu um selinho na boca da Claudia e na minha, e o Ric a imitou, sentando os dois no banco de trás. Curti a novidade e brinquei com eles sobre o selinho, dizendo algo que não me lembro, mas que tinha sido gostoso. A Nina me chamou mandando eu olhar para trás e prontamente ao olhar recebo um beijo na boca bem grudado, com direito a língua, olhos fechados e muita baba. A Cláudia e o Ric olhavam perplexos a desenvoltura da Nina para começar a noite, e quando ela desgrudou os lábios dos meus, eu estava de pau duro e num tesão sem tamanho… Ela aproveitou que a Claudia estava nos olhando no banco ao lado e como estava entre os dois bancos se virou para a Claudia e pegando a cabeça dela deu também um arreto espetacular na Claudia. Quando desgrudou disse:


- Que tesão!!! Boa noite lindos, eu estava louca de saudade de vocês e de viver esse sonho novamente.


- Nossa, adorei a recepção… eu também estava louco de saudades de vocês - disse o Ric.


- Então dá boa noite para eles como eu dei amor - disse a Nina para ele.


O Ric mais que depressa chegou entre os bancos e pegou a cabeça da Claudia e também deu um beijo de mais de um minuto nela. De onde eu estava eu só conseguia ver a cabeça dele, e as mãos dele passeando pela barriga se seios dela. Quando desgrudou os lábios da boca da Claudia se virou para mim e se grudou na minha boca, abrindo caminho com a língua dentro da minha boca e com uma mão segurou minha cabeça e a outra levou até o meu pau, quando tirou a boca, disse:


- Seu puto, já estás de pau duro.


- Se for por isso então não é só ele que é puto então, pois tu também estás corninho, disse a Nina para ele, pois enquanto ele nos beijava ela estava esfregando a mão sobre o pau dele também.


- Temos uma proposta para fazer para vocês - disse o Ric - ao invés de irmos ao restaurante, que tal irmos direito para o motel, onde podemos ficar pelados nos arretando os 4? Lá tem comida e podemos jantar a qualquer hora que sentirmos fome, inclusive podemos alugar a suíte para passarmos a noite os 4 juntos até amanhã pela manhã… o que acham?


- Eu topo, disse a Nina.


- Eu também topo - disse a Claudia.


-  Bom… - disse eu - Eu sou o motorista e cumpro ordens de vocês, a maioria ganha… para o motel…


- Então deixa eu pegar umas garrafas de espumante que colocamos para gelar e assim levamos para o motel e não gastamos tanto dinheiro - disse o Ric saindo do carro e indo e retornando a casa dele para pegar as garrafas que já havia deixado preparadas com gelo e copos.


Quando ele saiu do carro a Nina perguntou para a Claudia se ela não queira passar para o banco de trás junto com ela enquanto nós dois íamos na frente. A Claudia foi e quando sentou a Nina já foi agarrando ela e dando um beijo na boca.


- Acho que eu estou virando lésbica, pois adoro te beijar na boca. Não imaginas como eu gosto de agarrar a tua mulher, disse ela para mim.


- Pode ficar a vontade, eu juro que não me importo… vou adorar ser corno de vocês as duas - respondi.


- Amor, ela está sem calcinha esta puta. Já saiu de casa pronta para o abate… ela já está encharcada, molhou todos meus dedos - disse a Claudia - que delícia… - e colocou os dedos na boca para provar o gosto da Nina


Nisso vem chegando o Ric com o camburão e as bebidas e uma mochila, abre a porta de trás e se depara com as duas se agarrando e beijando loucamente no banco de trás. Ao entrar no banco do carona pergunta se estava perdendo algo.


- Nada que não vais ver o resto da tua vida - respondi para ele.


Dei a partida no carro, e enquanto as duas se arretavam no banco de trás o Ric deu a idéia de passearmos um pouco pela cidade dirigindo, pois a Nina tinha fantasia de transar com alguém em um carro em movimento pelas ruas da cidade… Meu carro não tinha a proteção nos vidros como os deles, mas quem tá na água é para se molhar… sai dirigindo aleatoriamente e a Nina ouviu a proposta que ele fez, e já começou a tira a roupa da Cláudia que fazia o mesmo com ela. Elas não falavam anda, apenas se beijavam e tiravam a roupa, esfregando os corpos, seios, mãos, se beijando por todo o corpo e gemendo. O Ric tinha uma visão privilegiada, enquanto eu que estava dirigindo mantinha a atenção ao volante, dirigindo devagar e as vezes olhando para elas. Ao pararmos em um semáforo ao lado de um carro que tinha um homem de vido aberto, acho que ele deve ter se dado conta, pois não tirou os olhos do que se passava no nosso carro. Elas nem se deram conta, mas eu e o Ric sim, e aquilo nos deu tesão em saber que alguém tinha visto. Enquanto se beijava elas batiam uma siririca uma para outra, até que a Claudia deitou a Nina no banco e se colocou em cima dela para fazer um 69. Nisso o Ric me disse o que elas faziam, e colocou a mão sobre o meu pau e começou a massagear por cima das calças. Paramos em mais um semáforo e aproveitei para olhar para trás para ver as duas se chupando, ver a bunda da Claudia para cima e ela com a cara enterrada na buceta da Nina foi uma delícia. Aproveitei e botei a mão sobre o pau do Ric, sobre as calças e quando me virei para olhar para ele, ele me deu um beijo na boca, enfiando a língua fundo e retraindo, dando passagem para que a minha também explorasse a boca dele. O sinal abriu e tive de andar, tirei a mão do pau dele para poder fazer as marchas e ele aproveitou e abriu as minhas calças e tirou meu pau para fora. Tive de me levantar um pouco para que ele pudesse puxar as cuecas e as calças para baixo, que ficaram pouco acima dos joelhos, e deram espaço para que ele pegasse meu pau com a mão, batesse uma leve punheta e logo se agachasse e começasse a me chupar.


Certamente que ele nunca tinha chupado um pau, mas começou bem, primeiro dando beijos na cabeça, passando a língua enquanto punhetava e depois foi colocando a boca em toda a extensão, segurando pela base e punhetando com a boca. Tentava colocar todo ele dentro da boca. Naquele momento percebi que já estava na hora de irmos para o motel. Eu já dirigia a 30 km por hora, com medo de causar um acidente ou de que fossemos pegos por alguém, algum conhecido, que nos viesse. A minha mulher no banco de trás do carro tendo um orgasmo fazendo um 69 com outra mulher e o marido dela no banco da frente me chupando pau… não teríamos nem tempo de nos vestir. Pedi para o Ric que parasse, mas ele somente levantou a cabeça, me deu um beijo na boca e voltou a me chupar eu já não estava mais aguentando de tesão e se não fosse pelo fato de estar dirigindo e ter de prestar atenção no trânsito já teria gozado na boca dele. Pouco antes de chegarmos ao motel elas começaram ter um orgasmo. Gemiam muito forte e se contorciam. Além de se chuparem estavam com os dedos em todos os buracos, se masturbando e penetrando. Gozaram intensamente, e eu fiz força para não gozar também. O Ric levantou a cabeça e me deu outro beijo na boca e me ajudou a colocar as calças no lugar. Estávamos quase entrando, quando ele se deu conta que estávamos dois homens na frente e aquilo poderia pegar mal, disse para Claudia passar rapidamente para o banco da frente, e ela só teve tempo de botar a camisa com a qual tinha saído de casa. Quando olhei para ela, ela estava toda escabelada, com a cara vermelha, a boca e os olhos inchados e parecia leve, devido ao orgasmo eu tivera. Dei um beijo na boca dela e o cheiro de buceta era divino. Ela me olhou, e viu que eu estava com a roupa todo bagunçada e as calças ainda abertas. Ficou fazendo conta sobre o que tinha acontecido, pois eu estava dirigindo e não podia ter tirado a minha roupa. Enquanto pedia a melhor suíte do motel ela me olhou nos olhos, como que curiosa e eu pisquei para ela, fui ao seu ouvido e disse que ela estava linda e eu a amava. Nossos amigos estavam atrás, escondidos, O Ric beijando a Nina, que ainda estava pelada se recuperando do gozo.


Entramos na suíte que era um desbunde, pois tinha uma piscina grande com solarium, sauna, banheira de hidromassagem, duas camas, sendo uma gigantesca, e um banheiro com duas duchas. Nenhuma parede no quarto, apenas vidros separando algumas das áreas, de qualquer ponto em que estivesses podias ver qualquer ponto do quarto e o que se passava ali. A Claudia antes mesmo de sair do carro tirou a camisa que estava vestindo e foi direito ao banheiro, mijar. A Nina seguiu ela e ficaram as duas conversando e logo que mijaram entraram na ducha.


Eu e o Ric ainda estávamos de pau duro, eu já não estava mais a ponto de gozar, mas continuava louco de tesão. Desci do carro e fui ajudar ele a tirar as bebidas da traseira, ele me deu um selinho na boca e me agradeceu pela experiência.


- Acho que estou virando puto - disse ele - já te dei uns 10 beijos na boca e passei quase meia hora chupando teu pau. Cara que delícia, mas confesso que estou preocupado…


- Com o que? - Respondi.


- Com tudo isso… É bom demais,... novo, já sou velho e estou fazendo coisas que nunca fiz antes… eu estava louco para que tu gozasses na minha boca - falou enquanto acomodávamos as bebidas em um canto do quarto.


-  Não pensa que para nós também não é tudo novo… tivemos nossa experiência com o Eduardo e depois com vocês… Pensa apenas em aproveitar a vida e curtir o que ela tem de melhor,... e que bom que nós encontramos vocês e vocês nos encontraram - disse a ele enquanto me dirigia até ele passava a mão no rosto dele e dava mais um selinho… - Que vocês sejam apenas vocês, se entreguem de corpo e alma e nós também vamos fazer… - pisquei o olho para ele, e fui pegar uma champanhe para abrir e os copos.


Olhei em direção ao banheiro, enquanto tirava a roupa e vi que as duas estavam nas duchas uma ao lado da outra tomando banho e conversando animadamente, sorrindo. O Ric também tirou a roupa e discutimos sobre o que tinha no cardápio para pedirmos, resolvemos pedir dois pratos para não saberem que tinham mais que duas pessoas no quarto, e assim comeríamos pouco forrando o estômago para que pudéssemos beber melhor.


Quando elas saíram do banho, nuas e ainda secando partes do corpo, abrimos a primeira garrafa de champanhe e servimos 4 copos. A Nina propôs um brinde, e disse que se quiséssemos eles como namorados eles queriam muito, haviam conversado durante estas semanas que não havíamos nos encontrado e que estavam dispostos a se entregar totalmente para nós, se nós também nos entregássemos a eles. Olhei para a Claudia, que havia comentado isso comigo durante toda a semana, certamente que elas tinham discutido a respeito e não tinham nos dito que estavam ensaiando esta jogada. O Ric perguntou:


- E??? O que acham??? Querem namorar conosco???


A cena era interessante, os 4 em pé, pelados, todos depilados,  o Ric ao lado da Nina, eu ao lado da Cláudia, de taças em punho, levantadas, os homens de pau duro e babando, as mulheres de banho recém tomado… a Claudia fez um ligeiro sim com a cabeça, e eu olhei para eles e disse.


- De minha parte tenho a certeza que será um prazer!!!


- Da minha também… - disse a Claudia abrindo um sorriso junto com os demais.


Brindamos e tomamos um gole de champanhe, e a Claudia disse:


- Quero um abraço e um beijo a quatro… melhor, vamos fazer um brinde diferente… Todos tiramos um gole pequeno de champanhe, e deixamos ele na boca, passem o que tiverem na boca para mim, eu misturo e devolvo para cada um de vocês… topam?


Todos concordamos e fizemos o brinde proposto pela Claudia, que depois de engolir o que sobrou na sua boca falou:


- E agora um abraço e um beijo a 4, todo mundo beijando todo mundo!!! Viva a liberdade de amar!!! Nos abraçamos os 4 e nos beijamos. Não foi muito confortável, a minha direita estava Claudia e logo eu fiquei beijando e abraçando ela, a mulher da minha vida que tornava realidade um sonho junto comigo. Os amigos colados em nós também se beijavam e nos abraçavam. Logo a baixinha tesuda da Nina, veio se meter entre nós e o Ric também, voltamos a nos beijar os 4, e a Nina se grudou na minha boca e não deixou os outros me beijarem, o que para eles não fez muita diferença, pois se pegaram em um arreto que pelo barulho deveria estar formidável. Foram uns 5 minutos trocando bocas, passando mão por tudo que é parte do corpo, não importando quem fosse quem, e todos com muito tesão.


Foi o Ric quem interrompeu, em um momento em que ele ficou meio de fora enquanto as duas me beijavam, e ele segurava o meu pau: - Bom, agora é a hora de apresentarmos os exames e vermos se está tudo ok com todos. - Já sabíamos do resultado e que estava tudo bem com todos, pois havíamos comentado durante a semana.


- Que tesão…  - disse o Ric - Esta noite promete, pois vamos poder transar sem pensar em camisinhas. A Nina mesmo não tomando anticoncepcional, não está no período fértil e eu estou louco para dar uma gozada dentro dela para fazer uma faxina, como vocês fazem…


- Eu tb não estou no período fértil - disse a Claudia…


- É amigo, esta noite promete, pelo visto vais fazer muita faxina!! - Disse eu para o Ric. - Hoje vais aprender o que é chupar buceta galada de verdade… vais viciar.


- Nem me fala… sonhei com este dia… de provar a buceta da Nina toda aberta e esporrada… desde que vi vocês fazendo isso não saiu mais da minha cabeça… até quando me masturbei nestas semanas eu acabei tomando todo meu gozo.


- Teve um dia que ele tirou a camisinha depois que transamos e pediu para eu despejar toda a porra dele mesmo na boca dele - disse a Nina… vocês estão transformando meu marido num puto, tomador de porra…


- Amor, não fala assim… é uma experiência nova e muito gostosa, assim eu fico com vergonha - respondeu o Ric.


- O que é que tem de mau nisso, ela não te chamou de puto em um mal sentido - disse a Claudia… - vocês são homens, gostosos, tesudos e que estão apreendendo a ter prazer de uma nova forma. O Antônio adora porra, desde que começamos ele sempre me chupa toda gozada e não é por gostar de chupar, beijar e até transar com outro homem que eu vou olhar para ele diferente… o que nós vamos fazer a partir de agora é apenas sexo, prazer, com pessoas cumplices que gostamos de estar…


- Eu confesso que acho tudo isso muito legal, mas estava conversando com o Antônio há pouco e dizendo para ele que fico algo confuso… - Disse o Ric.


- Deixa de bobagem amor, esta não era a tua fantasia? Sempre me dissesses que querias encontrar um casal liberal no qual pudesses te realizar sexualmente junto comigo… não tens que ficar confuso… vais ver que não vai mudar nada ... não vais deixar de ser o homem maravilhoso que és comigo só porque te descobrisses bissexual - disse a Nina dando um beijo na bocado Ric e abraçando ele, e continuou - Eu, confesso que estou adorando tudo isso, tô louca de tesão pela Claudia e pelo Antônio, quero muito que isso dure muito tempo, e que a gente consiga manter uma relação duradoura os 4… se eu contar para vocês as minhas fantasias… vocês vão me chamar de louca…


- Uhnn… - murmurei, enquanto abraçava a Claudia por trás e dava uns mordiscos no pescoço dela e passava a mão pela barriga e os seios pequeninhos dela - isso está começando a ficar interessante, todos se soltando e se confessando!!! Adoro ouvir fantasias… conta para nós… conta…


- Ahhh… não, por mais saidinha que eu seja, assim de cara eu tenho vergonha… preciso de muito mais champanhe para contar detalhes - e veio caminhando em nossa direção, abraçando a Cláudia pela frente e nos olhando nos olhos - mas saibam que vocês e o Ric tem feito parte de todas as fantasias que tenho tido… Vocês 3 são uns tesão e eu tô muito feliz por estar aqui com vocês. - E deu um beijo na Claudia enquanto passava as mãos nos meus cabelos e me juntava mais à Claudia.


- Meu amigo - disse eu rindo para o Ric - Eu acho que nossas mulheres vão acabar a novela juntas… vão nos trair e virar sapatonas… basta ter uma oportunidade que elas estão grudadas uma na outra… vai rolar um velcro…


- Impossível - disse a Cláudia se desgrudando da boca da Nina - Por mais que esta baixinha seja tesuda e gostosa e desperte em mim o meu lado bi… eu nunca vou deixar de gostar de uma boa piroca, como a tua e a do Ric… aliás amiga… disse ela olhando para a Nina…eu acho que enquanto a gente estava transando no carro, os nossos maridos também estavam fazendo algumas coisinhas…


- É?!? Disse a Nina com cara de espanto - eu não vi nada… o que rolou?!?! - Perguntou olhando para o Ric.


- Nada de mais ... vocês estavam entretidas se chupando e nós dois olhando ... estava lindo comentou ele piscando o olho para mim…


- Sei… - disse a Claudia - essa piscada não me engana… algo mais rolou… quando passei para o banco da frente o Antônio estava com as calças abertas e o pau ainda estava para fora, todo babado… vocês têm de nos contar…


- Assuntos de homens - disse eu…


- Sim eu sei - respondeu a Nina - de homens ou de veadinhos gostosos… o que que o meu corninho fez?? - Perguntou ela fazendo biquinho e colocando a mão direita em forma de chifre na cabeça do Ric - Conta para a tua dona, conta…


Ele vermelho disse: Bom enquanto vocês se pegavam, eu estava louco de tesão de ver vocês duas se chupando e a bunda da Claudia para cima… passamos por um carro em uma sinaleira que acho que viu algo e eu fiquei com mais tesão ainda de saber que ele estava vendo a minha mulher se arretando com alguém no banco de trás do carro… e… - meio envergonhado resolveu contar - não aguentei e abaixei as calças do Antônio e fiquei punhetando e chupando ele.


- Ahhh seus putos, nós pensando que estivéssemos dando um show para vocês e vocês nem aí para nós… - disse a Cláudia rindo, tirando sarro da nossa cara - Eu realizando o sonho de vocês de nos verem nos chupando ao vivo, de perto e vocês se chupando…


- Amor, eu estava dirigindo, não tinha nem como olhar muito para vocês - disse eu, e as duas olharam para o Ric que ficou vermelho.


- Eu confesso que foi uma delícia… saber que a minha mulher estava transando com outra mulher no banco de trás do carro e eu chupando o pau do marido dela que vai comer a minha mulher ... me senti o verdadeiro corno… tentei inclusive fazer o Antônio gozar na minha boca, mas ele não conseguiu ...


- Ele quase nunca goza quando chupam ele… demora muito - disse a Cláudia… - ias cansar a tua boca e duvido que conseguisses…


- Bahh… com o tesão que eu estava, quase que ele conseguiu, foi difícil me controlar.


- Cara eu passo horas te chupando e não consigo e um amigo te chupa pela primeira vez e quase faz tu gozar… - disse a Claudia sorrindo -boquinha de veludo tem o teu marido ... hein amiga? No mínimo não deve ser o primeiro boquete que ele paga na vida… - completou olhando para a Nina.


- E agora amor… te explica ... _ mandou a Nina em tom desafiador.


- E eu que sei… apenas fiz o que eu gosto que façam comigo… se deu certo, fico orgulhoso… respondeu ele.


- Hooo se deu… - disse eudos melhores boquetes que já ganhei… com direito a uns beijos babados e tudo…


- Amor… - disse a Nina… - agora eu quero ver como tu faz…  repete vai faz um showzinho para nós ... Antônio deita aqui na cama - mandou ela olhando para mim, e eu fui me deitar de barriga para cima com meu pau duro desde o momento que eles haviam entrado no carro. Eu estava todo babado que chegava a pingar. Aproveitei passei os dedos na cabeça do pau para tirar um pouco da baba e levei a boca para não desperdiçar… adoro o líquido preseminal


- Vem cá amor, me mostra, deixa eu ver isso de perto - mandou ela para Ric. - vem chupar ele para eu ver…- Ele veio e subiu na cama do meu lado ficando de joelhos com o rosto na altura do meu pau e pegou ele e deu uma leve punhetada. A Nina se ajoelhou do outro lado para ver bem de perto e a Cláudia se sentou um pouco mais acima, perto do meu rosto.


- Não sei se vou fazer igual com vocês olhando, mas peguei ele e dei uma punhetada, ai dei um beijo no Antônio de língua, bem babado - e veio com a boca na direção da minha para me beijar, já colocando a língua dentro da minha boca e puxando a minha língua para a boca dele… se desgrudou da minha boca e voltou em direção ao pau, mas antes parou no meu peito e deu uns mordiscos no meu mamilo direito, dizendo: Isso não está no script mas não resisti… - e todos sorrimos, e continuou: e depois de dar umas punhetadas, comecei assim… - e começou beijando a cabeça do meu pau, ficando com um fio de gala que estava saindo grudado no lábio, ligando ao pau. Não se conteve e disse: Delícia!!! - e colocou toda a cabeça na boca e senti que sugou para tentar tirar mais um pouco do líquido que saia. Logo foi beijando e passando a língua por toda a extensão, deixando ele bem babado e quando voltou para cima colocou todo ele na boca e ficou me masturbando com a mão e a boca… Confesso que estava delicioso. A Nina olhava admirada e a Cláudia também, perguntou no meu ouvido se estava bom… eu segurei a cabeça dela e dei um beijo profundo nela, disse que estava delicioso e voltei a beijar ela enquanto era chupado pelo Ric. Não demorou muito tempo e senti a mão e a boca da Nina dividindo meu pau com ele. Se beijavam com meu pau no meio e deixavam ele completamente babado. Passaram alguns minutos assim, até que o Ric passou para o meio das minhas pernas e começou a chupar as minhas bolas, meu saco. Colocava as minhas bolas na boca e chupava algo forte, dando um pouquinho de dor, mas nada que tirasse o tesão. Começou a descer mais e até que alcançou o meu cu. Fez a Nina sair um pouco, levantou as minhas pernas e passou a lamber a volta do meu cu, enquanto a Nina voltou para a chupar todo meu pau. Ele começou a pressionar a língua no esfíncter querendo abri-lo, primeiro só com a ponta da língua e depois foi penetrando ela até começar a me comer com a língua. Parei de beijar a Claudia e disse a ela o que eles estavam fazendo e ela olhou e resolveu sentar no meu rosto, dando o cu para eu chupar também. Adoro chupar o cu da Claudia, isso fez com que eu me desconcentrasse um pouco do que eles faziam comigo lá embaixo. Eu estava nas nuvens… em cinco minutos eu já não aguentava mais… meu cu estava tão babado que o Ric colocou um dedo ou parte de um dedo que entrou fácil, e nesse ponto eu avisei que iria gozar. Ele ficou fazendo um vai e vem com o dedo e subiu com a boca para a cabeça do pau para chupar junto com a Nina. Me desconcentrei na chupada que estava dando no cu da Claudia que sentou com mais força na minha boca e acabei gozando na boca dos dois, que continuaram me chupando. Foram três ou quatro jatos… meus jatos não são fortes, mas intensos, parecia que saia um rio de porra de dentro de mim, apertei o dedo do Ric com o esfíncter e eles continuavam me chupando e eu tendo espasmos. Retraí mais meu corpo e não aguentei mais e me soltei dando gargalhadas sufocadas pela bunda da Claudia na minha boca. Ela se deu conta que eu precisava respirar e saiu de cima de mim, e quando olhei para baixo os dois estavam se beijando ainda com minha porra na boca deles e com parte do rosto com pingos de porra. O Ric lambeu ela tentando deixar ela limpa e voltou a chupar o meu pau, e ela veio me beijar ainda com um pouco da minha gala na boca, me passando para que eu engolisse. Eu não conseguia me mexer, de tão intenso que havia sido o meu orgasmo. O Ric depois de deixar meu pau limpo veio me beijar também, agradecendo pela experiência. Disse a ele:


- Eu é quem agradeço amigo, as ordens, sempre que quiser pode me chupar a vontade.


- Que bárbaro!!! - Disse a Cláudia - isso é que é selar uma amizade… Depois desse orgasmo o Antônio vai demorar algum tempo para se recuperar… O início da noite é toda contigo Ric… vais ter duas fêmeas famintas para saciar…


- Não sei se dou conta do recado… mas pode deixar comigo - respondeu ele…


- Ouvi os caras da comida batendo, na portinhola de entrega, ela já deve estar fria… eu preciso de um champanhe para tirar o gosto de porra da boca!! - Disse a Nina - Tua porra é gostosa, mas eu ainda não consigo engolir muito, nem a do Ric.


- Deixa que eu sirvo os copos enquanto pegas a comida… eu tb não consigo engolir muito… Não sei como o Antônio consegue… - disse a Cláudia.


- Se eu soubesse que era tão boa, já teria virado boqueteiro a muito tempo - disse o Ric apertando o meu pau e passando a língua nas últimas gotas que saíram… Todo mundo riu, e ele foi ao banheiro lavar o rosto, enquanto eu tentava recuperar as minhas forças na cama, para poder comer algo. Realmente eu ia demorar um tempo para me recuperar.


Essa foi a primeira parte de uma noite na qual começamos a namorar o Ric e a Nina… depois conto o resto… bjs….

Vício em pornografia? Saiba como parar!
eBook - Como Provocar Orgasmos Femininos?
A Máquina De Vendas Online