Ola a todos (as) !!!


Fiquei um tempinho sem postar nada, mas agora achei um bom motivo rsrs


Primeiro vou me descrever, pois sei que os meninos adoram:  Meu nome é Fernanda, tenho 18 anos, tenho a pele branca, cabelo comprido preto, olhos pretos, 1,55 de altura (baixinha) e peso 52 kg. Tenho um corpo tipo "mignon", mas bem saradinho, pernas mais ou menos grossas, cintura fina (36), peitos pequenos tamanha "P" e bumbum redondinho (pouco grandinho).


Eu mantinha um namoro firme (dois anos), até que em uma feriado, tive que viajar com meus pais para a cidade da família da minha mãe, onde passamos uma semana. Quando voltei descobri que meu, então namorado, havia ficado com uma garota do nosso prédio. Foi o motivo para brigarmos e terminarmos.


Confesso que fiquei muito triste com a separação, a final não esquecemos quem gostamos assim tão rápido. Ele até tentou pedir desculpe e tal, mas não rolou. Estava muito brava com ele e com a menina, que um dia foi minha amiga.


Pois bem! Depois disso, fiquei muito pra baixo, até que uma amiga me visitou lá em casa. Disse varias coisas para m animar e uma delas foi até curiosa. Ela disse que para toda a separação a receita era certa: psicólogo, academia e internet. Eu não estava louca, então não queria saber de psicólogo, academia eu já fazia a internet iria começar… Ela indicou um site de bate-papo, para começar a conhecer alguém.


Segui o conselho dela e entrei no tal site. Me senti com 15 anos de novo, quando eu entrava nesses sites para falar besteiras com os meninos.


Entrei e comecei a falar com vários rapazes, uns mais novos, outros da mesma faixa etária que a minha e muitos mais velhos. Nunca me interessei por homens mais velhos, mas comecei a falar com eles e fui criando certo gosto. Conversei com vários, por horas, mas o que mais me encantou foi o Pedro, não me lembro o Nick que ele usava.


Ficamos conversando por um bom tempo, até que antes de sair, trocamos e-mails, para manter o contato.


Durante a semana, ficamos falando sobre quase tudo, inclusive sobre sexo. E foi ai que o assunto mais rendeu… Falávamos de nossas experiências, ele tinha muito mais a falar para mim do que eu a ele, pois tinha 34 anos e já havia passado por um casamento. Então eu falava do que já havia feito e do que ainda tinha vontade de fazer no sexo e ele o mesmo.


Em um dado momento ele disse que se sentia "titio" perto de mim, devido a diferença de idade. Eu levei na brincadeira e comecei a chama-lo de titio. Ele gostou e me chamava de sobrinha ou sobrinhazinha, sempre com um toque se sacanagem.


Uma vez, enquanto eu falava para ele que minha posição favorita na cama era quando eu ficava por cima, pois assim dava mais para controlar melhor o ritmo e a velocidade, ele disse que adoraria sentir sua sobrinha sobre ele e essas coisas. Isso me deixava muito excitada, pois tornava tudo muito mais proibido e misterioso.


Ficamos nos falando por umas duas semanas mais ou menos, até que ele deu a iniciativa de nos encontrarmos. Confesso que fiquei muito nervosa, porque até então era só uma brincadeira, bem gostosa, que fazíamos e achava que não passaria daquilo.


Depois de ficar um dia sem responder aos e-mail dele, pois estava pensando no que havia me proposto, decidi aceitar seu conte e marcamos em shopping que ficava mais ou menos perto para os dois.


Eu nem consegui dormir durante a noite, fiquei acordada revirando na cama pensando em tudo que tínhamos falado e no que poderia acontecer. Quando amanheceu fui tomar aquele banho caprichado, para começar tudo bem. Fiquei um bom tempo embaixo do chuveiro pensando em tudo o que já tínhamos falado e não aguentei, acabei me tocando e me masturbando deliciosamente, sem culpa nenhuma. Foi delicioso!


Sai do banheiro, preparei minha roupa, uma blusinha laranja que molda bem minha cintura, sutiã branco, com renda e bojo para dar um volume, calsinha branca, que é conjunto, uma saia preta de prega que vai até acima do joelho e uma sandália de meio salto. Estava básica, mas pronta.


Marcamos de almoçar, então cheguei lá as 12:00hs mais ou menos. Fiquei esperando no balcão de informações, assim como tínhamos combinado. De repente vi um homem vindo em minha direção e logo vi que era ele, pois tinha reconhecido das fotos. Ele aparentava um pouco mais a idade que tinha. Era meio alto,, não tinha barriga e estava usando barba e acho que era isso que o envelhecia.


Nos cumprimentados com uma beijo no rosto, mas logo depois de algumas palavra ele disse que queria me beijar, então cedi a seu desejo e nos beijamos. No início eu estranhei a barba, mas depois… nossa como ele beijava bem. Tinha uma pegada gostosa, nada muito bruto, mas tinha firmeza. Me puxava para perto do seu corpo e me apertava contra a coluna. Fiquei assim com ele por uns 15 minutos, que foram suficientes para me deixar doidinha por ele.


Almoçamos e fomos ver as lojas. Assim que passamos em frente da papelaria (Saraiva), eu disse que precisava entrar para ver o preço de um livro. Ele me acompanhou e o que mais me chamou a atenção foi quando o vendedor chegou nele perguntando no que poria ajudar e ele respondeu que estava apenas acompanhando a sua sobrinha que queria ver o preço de um livro. Eu fiquei sem palavras, olhei para ele e sorria, enquanto falava para o moço do livro que estava procurando. Infelizmente não tinha o bendito do livro na loja, mas valeu a pena ter passado por aquela experiência.


Quando saímos ele perguntou o que eu havia achado daqui, respondi que fiquei surpresa, mas que tinha gostado da atitude dele. Pronto! Acho que era tudo o que ele queria ouvir, pois em cada lugar que íamos, ele se identificava como meu tio, me apresentando como sua sobrinha. Até à mulher do caixa do cinema.


É, fomos ao cinema. Pegamos o primeiro filme que estava passando, pois não estávamos nem um pouco no roteiro (rsrs). Ele escolheu as poltronas da parede, para o fundo. Tipico lugar de casaizinhos.


Nos primeiros cinco minutos até que tentamos assistir ao filme, mas não nos seguramos por muito tempo. Logo já estávamos subindo o braço da poltrona e nos aninhando num beijo delicioso.


Tanto eu como ele nos aproveitávamos da situação, passando a mão em tudo. Ele passa a mão no meu bumbum, levantando um pouco minha saia e eu, com as pernas sobre as dele, praticamente estava sentada no colo dele e não parava de por minhas mãos por dentro de sua camiseta e sentir seu corpo. Era diferente de tudo, era peludo, forte, porem não definido, dava uma sensação de conforto e segurança. E foi graças a essa sensação que eu deixei ele avançar.


Uma das mãos dele estava sobre meu bumbum, enquanto a outra me abraçava e acariciava pelas costas. Porem durante nossa pegação ele tirou a mão das minhas costas e já foi logo subindo pela barriga e encaixando em méis seios. Como eu estava de sutiã de bojo ele disse que queria sentir o volume real. Então enfiou a mão por baixo da minha blusa e foi procurando meu peito esquerdo, que já estava com o mamilo bem durinho, graças a tanto carinho bom.


Contando isso, parece que estávamos nos comendo, mas não. Apesar de tudo fazíamos e velocidade reduzida e com muito cuidado de não sermos pegos. Mas sem nenhum pudor. Tanto é que eu acabei "enjoando" de ficar ali em seu peitoral e fui descendo a procura de certo volume que acabei achando rapidinho por debaixo de sua calça.


Aquilo era o convite de sinal verde para ele, que foi tratando de deixar meu peitinho em paz e ir passando a mãos em minha coxa até chegar em minha calçinha. E ai é que o bicho pegou de vez, pois eu já não estava mais aguentando aquilo tudo. Enquanto ele apertava minha bunda, eu já dava espaça para ele, abrindo minhas pernas e prendendo sua mão bem no meio dela.


Eu nem beijava mais ele, só ficava ali com nossas bocas semiabertas se encostando, enquanto ele me proporcionava uma das melhores siriricas da minha vida e eu massageava seu pênis sobre o tecido. Nisso ele disse que não iria aguentar e que queria muito "comer a sua sobrinhazinha". Então nos levantamos e fomos embora, quase que correndo em direção a seu carro para irmos para um lugar mais tranquilo.


No caminho passamos por um drive-in e acabamos indo lá mesmo. Sei que não é nada romântico, mas era o que tínhamos em mãos.


Entramos e ele foi estacionando o carro em umas das cabines. Eu nunca tinha ido a um drive-in antes, pensava que as pessoas transavam dentro do carro mesmo, mas este tinha uma pequena cama, praticamente uma maca que dava maior conforto. Assim que entramos, fechamos uma cortinha por trás do carro e pudemos ficar muito mais a vontade.


Eu sentei na maca enquanto ele ficava de pé me abraçando e comprimindo nossos corpos. Após um tempo assim, ele foi descendo e me deixando deitada foi tirando minha calçinha e levantando minha saia. Dando a ele uma visão completa da minha xaninha, que estava bem grandinha e molhada.


Com ele era tudo sem muita cerimônia, foi logo me ajeitando e caindo de boca na minha buceta. Chupava deliciosamente bem e aquela barba… Nossa como era gostoso sentir aquela barba na minha menininha. Ele me chupava muito bem. Fazia tudo com certo profissionalismo que me deixava doida de tesão, me fazer rebolar e esfregar minha xaninha na boca dele.


Enquanto ele me chupava, aproveitei para ir na nossa brincadeira e comecei a chama-lo de titio. Falava para ele coisas do tipo: "isso titio chupa a bucetinha da sua sobrinha" e "nossa como esse meu tio sabe tratar bem da sobrinha dele..vai titio vai!!!". A cara vez que eu fazia isso ele ficava mais safado ainda, passando a língua no meu cuzinho e indo ate a ponta do grelo, que ele não parava de dedilhar. Não demorou nadinha para que eu gozasse e travasse, com as pernas, a cabeça dele em meio a minha menina.


Quando ele voltou estava com a barba toda babada. Beijei ele e olhando no fundo dos seus olhos, com um sorriso em safado, disse: "já sei. É hora da sua sobrinha retribuir o favor né?"


Ele me tirou da maca e quando pensei que ele iria subir, foi entrando pra dentro do carro e sentou no bando do motorista, com as pernas para fora e me disse para ficar ali ajoelhada, porque ele queria saber se a sobrinha dele era tão boa chupando como era gostosa no sabor da bucetinha.


Isso me deixava doida. Me sentia muleca, travessa e com uma vontade enorme de provar para ele o quanto eu era boa em tudo, assim como ele. Então fui me posicionando e abaixando suas calças e olhando sem seus olhos. Deixei ele só de sueca e comecei a mordiscar seu pinto ainda por cima do pano. Quase que chupava com cueca e tudo, punha tudo na boca, até que a cueca já estava bem babada e tive que tira-la, revelando um pênis lindo, troncudo e bem reto. Fiquei beijando ele na cabeça, enquanto brincava com o Pedro e falava "nossa titio que pinto bom o Sr tem." e "será que cabe na boquinha da sua sobrinha?". Ele prontamente disse que só tinha um jeito de descobrir e era a sobrinha dele por tudo dentro. Eu imediatamente obedeci, abrindo a boca o máximo que conseguia e pondo seu pau garganta a baixo.


Depois que entro tudo, eu comecei a movimentar-me para cima e para baixo com a cabeça. De vagar no inicio como já estava acostumada. Só que depois ele foi forçando minha cabeça contra seu pinto e bombava com mais rapidez. Peguei rápido o jeito da coisa depois de tempo era eu que forçava para ir mais rápido. Sem duvida alguma, aquele era o melhor pau que eu já tinha provado.


Depois de chupa-lo por uns dez minutos, ele me pegou pelos braços e me pões em seu colo, ainda no banco do carro e usando apenas a saia preta, e enquanto nos beijava eu disse a ele que queria eu mesma colocar a pau do titio na minha bucetinha. Então pegando naquele pinto lindo fui direcionando para a portinha da minha menina e com corpo fui me direcionando a entrada e descendo lentamente, podendo sentir cara pedacinho entrando em mim.


Assim que entrou tudo pude começar a m movimentar, dando ritmo e velocidade à foda, exatamente do jeito que eu gosto. Ele também me ajudava, levantando meu corpo, enquanto apertava meu bumbum.


Era muito bom ter aquilo em mim, pois eu sabia que ele estava fazendo aquilo por mim, porque tinha dito a ele antes como eu gostava. E tudo se tornava realidade e era muito mais gostoso do que eu havia imaginado. Podia me soltar sobre seu membro e "cavalgar" em seu corpo.


Eu já estava em um ritmo rápido, quando ele disse que queria mais forme, que estava prestes a gozar. Foi ai que eu me segurei em seus ombros e fui o mais rápida que pude. Pulando sem dó em seu corpo. Passou alguns minutos e ele disse que estava gozando. Ele forçava meu quadril contra o dele, impedindo de me mexer, restando para mim, rebolar carinhosamente em seu pau.


Assim que tirou o pinto de dentro de mim, pude ver toda aquela porra sair junto e lambuzar tanto minha bucetinha com o seu pau. Cai de boca mais uma vez naquele pinto, que já não estava mais tão duro, mas continuava saboroso, ainda mais com aquela porra gostosa, como se fosse uma cobertura.


Depois que eu o limpei todinho, ele disse que não era justo a sobrinha dele ficar com a xaninha melada por culpa dele. Então me colocou no banco do passageiro e limpou todo minha xaninha com a sua língua deliciosa.


Ficamos nos beijando e recompondo o fôlego por alguns minutos, depois nos vestimos e fomos embora dali. Ele foi muito gentil e me deixou na frente do meu prédio. Nos despedimos, eu desci e entrei pra casa e ele foi embora. Não voltamos a repetir a dose, mas mantemos contato por e-mails que ficaram mais picantes ainda.


Gostaram? Espero que sim… por favor, deixem sua avaliação e seus comentários para que eu possa melhorar.


Obrigada e até mais !!!!

Vício em pornografia? Saiba como parar!
eBook - Como Provocar Orgasmos Femininos?
A Máquina De Vendas Online