Meu nome é Rogério, tenho 31 anos e estou casado há dois anos com Nívea, uma moreninha linda, 26 anos, magra falsa, seios tamanhos médios, redondinhos e com biquinhos cabeçudos, uma gatinha de tirar o fôlego de qualquer macho. Ela é muito vaidosa e tá sempre com a bucetinha depilada nos contornos. Sou apaixonado por ela. Nossa vida sexual vai evoluindo a cada dia e ultimamente temos fantasiado várias situações de sexo. A que mais tem nos excitado é ela me fazer de corno. Sempre que estamos no auge da transa ela pergunta se eu quero ser corninho, respondo que sim e noto o quanto ela fica excitada.
Moramos em Brasília, sou formado em Administração servidor de uma estatal e minha esposa é Arquiteta e trabalha num escritório de arquitetura renomado aqui na cidade.
Recentemente fomos passar uma semana em Porto Seguro/BA. Ficamos hospedados numa pousada de frente para a praia. Logo no primeiro dia curtindo a praia minha esposa avista a Clara, uma amiga dos tempos da faculdade e que tinha casado e se mudado para Belo Horizonte. Ela estava com o Ronaldo, seu marido e mais dois colegas de seu marido, Maurício e Flávio. Estavam hospedados em uma casa alugada para também passar uma semana. Clara nos convidou para nos juntarmos a eles e pra lá fomos. Clara nos apresentou para seu marido e em seguida para os dois amigos deles. Ronaldo nos ofereceu cerveja e nos deixou à vontade. Ronaldo e Clara formavam um belo casal e Maurício e Flávio eram de deixar qualquer mulher louca. Ambos aparentavam ter seus 27/28 anos, altos, corpos esculturais, pele bronzeada. Dava para ver que eram bem dotados pelo volume sob suas sungas. Eles eram tão atraentes que a mulherada toda que passavam não disfarçavam os olhares e percebi que minha esposa também os admiravam. 
Aos poucos fomos nos entrosando e Maurício e Flávio se mostraram bastante educados e bem simpáticos, e logo foram puxando conversa com a Nívea e Clara que estavam numa mesa ao lado e eu fiquei conversando e tomando cerveja com o Ronaldo, marido de Clara em outra mesa. Ronaldo também era um cara simpático e boa pinta.
O dia estava agradável e depois de alguns minutos Maurício e Flávio chamaram Clara e Nívea para entrarem no mar. De onde estava dava para ver o quanto se divertiam na água. Quando vinha alguma onda um pouco maior o Maurício tratava logo de amparar minha esposa. O mesmo acontecia com Clara e Flávio. Confesso que já estava um pouco enciumando e pensei em ir também para a água mas o Ronaldo não demonstrava que estava com ciúmes e o papo com ele estava bom e achei chato deixá-lo só.
Quando retornaram da água notei o quanto minha esposa estava entusiasmada e alegre. Parecia que já se conheciam a anos. Ficamos tomando cerveja, comendo petiscos e proseando animadamente. Num dado momento Clara chama minha esposa para irem na ducha que ficava na barrada de apoio que existem ao longo da orla e eu aproveitei para ir no banheiro. Em seguida Clara e Nívea também se dirigiram para o banheiro e na saída pude ver que elas conversavam bastante e, curioso, me aproximei sem que me vissem e me posicionei ao lado de um vaso de plantas para tentar ouvir o que falavam. Ouvi Clara dizer que o Maurício tinham achado minha esposa um gata e Nívea responder que gato era o Maurício e perguntou para Clara onde tinha conhecido aqueles monumentos e não deu para ouvir mais nada pois começaram a andar em direção ao local que estávamos.
Clara se sentou ao lado do Ronaldo e Nívea ficou de autos papos com os dois monumentos na mesa ao lado. Já estava ficando tarde e Resolvi chamar a Nívea para o hotel, nos despedimos e Ronaldo nos convidou para sair à noite com eles. Nem deu tempo deu responder ao convite e minha esposa foi logo topando e marcamos numa praça no centro da cidade para tomar algumas biritas e mais tarde poderíamos ir a uma boate muito boa lá próximo. 
No caminho para a pousada pude perceber o quanto minha esposa estava excitada e assim que chegamos na nossa suíte ela foi logo me puxando para a cama e iniciamos uma transa louca. Sua buceta estava encharcada e não aguentei e cai de boca naquela bucetinha maravilhosa e quando a penetrei perguntei o porquê de tanto tesão e ela respondeu ofegante que eu sabia muito bem o porquê. Acelerei as bombadas e ela, aos gritos me perguntou se eu ainda queria ser corninho, alucinado de tesão respondi que sim e ela, num orgasmo alucinante me disse que estava perto de acontecer. Gozei e a inundei de porra.
Tomamos um banho juntos e não tocamos mais no assunto e fomos para a cama tirar uma soneca. À noite pegamos um táxi e fomos nos encontrar com eles no centro da cidade. Nívea estava deslumbrante, com um vestidinho solto batendo pouco abaixo dos joelhos, sem sutiã, sandálias altas, uma princesa. Nos encontramos todos e fomos para um bar tomar alguns drinks. Sentei com a Nívia ao lado do Ronaldo e Clara e Maurício e Flávio ficaram de frente para nós. Percebi que Nívea trocava muitos olhares com o Maurício, me deixando com muito ciúmes más também com muito tesão. Dava para perceber também que Clara era muito intima dos dois.
Minha esposa me chamou para dar uma voltinha na praça, pedimos licença a todos e fomos. No caminho ela me deu um longo beijo na boca e me pediu, trêmula e ofegante, se podia dar para o Maurício. Fique calado por uns instantes e meio sem saber o que falar ela se antecipou e falou: Sei que você tem vontade de ser corno e a oportunidade é perfeita pois estou com muito tesão por ele. Clara me contou que é amante dos dois há mais de um ano e liberou o Maurício para ficar comigo, visto que ele me achou muito gata e que o Ronaldo dá o maior apoio. Deixa eu dar pra ele vai, por favor! e em seguida me deu outro beijo na boca. Levei minha mão sob sua saia e pude perceber sua bucetinha encharcada. Com o coração disparado e com um tesão descontrolado perguntei como seria e ela disse que ia convidar ele para o nosso apartamento e que não me preocupasse com o Ronaldo, Clara e o Flávio, pois eles iriam transar com a Clara na casa que alugaram. Me beijando o tempo todo, disse que me amava e que eu não me preocupasse e se eu quisesse poderia participar também. Meu tesão era tamanho que concordei pois sempre fantasiei ela dando pra outro macho. 
Voltamos para o bar e em seguida Nívia e Clara foram para o Banheiro, certamente para saber de Nívea se eu topei ser corno. Antes de me sentar, peguei a cadeira de minha esposa que estava do meu lado e a coloque ao lado do Maurício, já antecipando para o sortudo que eu autorizei ele a comer minha esposa deliciosa. Nisso elas retornam do banheiro, Clara se senta ao lado do Flávio e Nívea ao lado do Maurício. Eu e Ronaldo ficamos conversando e bebendo cerveja. Não demorou muito e os dois casais já estavam ao beijos na nossa frente.
Pagamos a conta e fomos todos para uma boate próximo de onde estávamos, arrumamos uma mesa em local mais afastado e em seguida fomos todos dançar. Minha esposa ora me beijava oura beijava o Maurício. Eu e Ronaldo Resolvemos deixá-los a sós e retornamos para a mesa onde ficamos conversando sobre ser corno e os observando de longe. Nívea estava linda demais. Quando ela está com tesão parece que fica mais linda ainda. Confessei pro Ronaldo que estava com muito ciúmes mas a amava tanto que não tive coragem de interromper essa aventura que ela tanto implorou. Ronaldo então respondeu: Você vai gostar de ser corno. O Maurício é bem dotado e sabe como ninguém deixar uma mulher alucinada. Então respondi que tinha medo dela se apaixonar por ele. Ronaldo então respondeu que eu ficasse tranquilo pois o fato de eu ter aceitado ser corno deixaria a Nívea mais apaixonada ainda por mim. Foi assim que aconteceu com a Clara. Mulher que tem marido corno jamais os deixam.
Depois de um bom tempo eles retornam da pista e se sentam ao meu lado. Pude perceber que minha esposa estava punhetando o Maurício por sob a mesa e, num dado momento ela se abaixa e faz um boquete nele por alguns segundo e em seguida se vira pro meu lado e me dá um beijo na boca e me diz no ouvido que o pau dele é enorme, grosso e cabeçudo e perguntou se eu estava gostando de ser corninho. Dei-lhe outro beijo na boca e respondi que sim, e muito. 
            Já era madrugada, pagamos a conta e, Ronaldo, Clara e Flávio foram para casa e eu, minha esposa e Maurício retornamos para a pousada. Maurício entrou na suíte com minha esposa nos braços e logo a jogou na cama e a despiu, beijou e chupou seus peitos por um longo tempo e foi descendo a língua até sua bucetinha encharcada e começou a chupar com volúpia. Nívea, aos gritos foi tirando sua camisa e em seguida sua calça e quando baixou sua cueca, pulou pra fora o que ela já tinha me dito. Uma pica de meter inveja. Não era muito comprida, mas grossa e cabeçuda. Ela o pegou e colocou na boca e, olhando pra mim, chupava com entusiasmo e pediu para que me aproximasse, abriu o zíper de minha calça, tirou meu pau pra fora e deu algumas chupadas, pediu para que me abaixasse e me deu um beijo na boca e pediu para eu chupar o pau do Maurício. Neguei, ela então me acariciou e, me chamando de amorzinho e corninho, insistiu, dizendo que eu tinha que experimentar aquele monumento. Obedeci e ela o pegou e colocou na minha boca. Dei algumas chupadas e o devolvi a ela. Nívea estava irreconhecível, trêmula e ofegante, pedindo para que eu olhasse sua mulherzinha sendo possuída por outro macho gostoso e pediu para eu pegar o cacetão dele e ajudá-lo a penetrá-la. Obedeci, peguei seu pica, a posicionei na sua entradinha e empurrei o corpo dele contra o dela e fiquei olhando aquela pica grossa entrando na bucetinha de minha mulher. Ela gritava e, me chamando de corninho, pedia para chupar a buceta dela com o pau do Maurício dentro. Que delícia vendo aquele pau grosso entrando e saindo bem na minha cara e eu a chupando. Depois que ele a penetrou ela começou a dizer coisas do tipo: Olha meu corninho sua esposa sendo fudida por um macho gostoso, ai…ui…tá gostoso demais…mete…mete muito…mostra pro meu corninho como se faz uma mulher gozar…ai…vai…vai…ha…ha…nossa…goza na minha buceta…goza vai…me enche de porra…olha meu corninho ele vai gozar na minha buceta e quero que você me chupe depois tá. Fala comigo meu corninho…fala vai…há...há...há...vou gozar de novo…ai…ai…ai…E assim ela ficou, gemendo e me dizendo que sempre teve vontade de me fazer de corninho e se eu estava gostando. Eu estava para gozar e ela pediu para chupar minha pica e em seguida me mandou tirar o pau do Maurício da buceta dela e chupar e em seguida beijá-la. Obedeci e quando a beijei ela começou a gritar dizendo que era para o Maurício a penetrar novamente e em seguida teve seu segundo orgasmo junto com o Maurício que inundou sua bucetinha de porra. Ela então se libertou do Maurício e, me chamando de corninho, pediu para eu chupar sua buceta esporrada. Meu tesão era tanto que chupei toda a porra que estava fora e dentro da sua bucetinha, e em seguida a penetrei e gozei, enchendo novamente sua buceta inchada e vermelha de tanto levar pica. Caímos os três na cama exaustos. Amanhecemos o dia metendo de todas as formas, inclusive com uma DP. Eu a penetrei no cú e o Maurício na buceta.
            Maurício ficou os sete dias metendo na minha mulher. Nos primeiros dias ela deixava eu meter nela após o Maurício gozar. Depois passou a exigir que eu chupasse sua rola mais vezes e chegou a pedir que o Maurício gozasse na minha boca e fez eu engolir uma parte da sua porra e não deixou eu a penetrar mais. Tive que me contentar com as punhetas. No último dia da estadia em Porto Seguro, Nívea me disse, com muitos beijos e carinho, que queria me ver dando o cú para o Maurício. Neguei o pedido dela, alegando que não era veado e a pica dele erra muito grossa. Ela insistiu muito e acabei aceitando. Nívea lubrificou meu cú com muita vaselina e ela mesma ajudou a empurrar, com muito carinho e jeito, a pica do Maurício para dentro do meu cú. No início doeu, mas depois de uns vai e vem fui relaxando e passou a ficar muito gostoso. Minha esposa estava tão excitada vendo eu de quatro no tapete dando o cú que se posicionou em baixo de mim e pediu para eu a penetrar. Com a pica do Maurício toda enterrada no meu cú, fui abaixando devagar até conseguir penetrar minha esposa. Eu nem precisava mexer, pois as estocadas do Maurício fazia minha pica entrar e sair. Nívea estava tão alucinada vendo eu sendo fudido pelo Maurício que num dado momento ela, me beijando na boca, me disse que queria chupar o meu cú esporrado pelo Maurício. Nessa hora não consegui mais segurar e gozei na sua buceta e ela, gemendo como uma leoa no cio, também gozou. Em seguida senti que o Maurício ia gozar no meu cú pois as estocadas estavam aceleradas e Nívea, sentindo que ele estava prestes a gozar, saiu debaixo de min, e passou a chupar os mamilos do Maurício, que aos urros inundou meu cú de porra. Caímos os três no tapete e Nívea mandou eu ficar de quatro novamente e passou a chupar a porra do Maurício que estava escorrendo do meu cú todo arregaçado. Maurício pediu então que Nívea se deitasse de pernas abertas e também chupou minha porra que estava na bucetinha dela.
            Quando chegamos em Brasília a primeira coisa que Nívea fez foi acessar a internet e fazer um pedido de um pica com vibrador e cinta. Ela adora me penetrar com o vibrador e depois pede para eu penetrá-la com o consolo no cú e minha pica na buceta. Nívea, apesar de novinha, já passou por experiências que muitas veteranas nunca nem imaginaram passar. Estamos sempre em contato com o Maurício e assim que der ele prometeu vir a Brasília nos visitar. Nívea está que não se aguenta de ansiedade.     
             
            segredonosso@terra.com.br

Vício em pornografia? Saiba como parar!
eBook - Como Provocar Orgasmos Femininos?
A Máquina De Vendas Online