No mercado fiz as compras que a Nádia pediu pelo celular, faríamos um fundoe para aproveitar o frio, andei tranquilamente no mercado admirando a beleza de todas as mulheres que ali estava, na fila, distraído com o celular, percebi que alguém estava me olhando e virei o rosto para procurar, era um grupinho de quatro adolescentes, meninas novinhas e lindas ao me ver riram e esconderam os olhares, uma delas continuou olhando e sorriu para mim, eu também sorri e dei uma piscada, ela mandou um beijo e seu rosto corou imediatamente, e junto com as amigas se apressou a sair rindo. Fiquei contente por despertar esse tipo de sentimento em mulheres tão jovens, meninas na verdade.


Paguei minhas compras e saí novamente distraído em direção ao carro, no estacionamento uma das meninas do grupinho me abordou com um papel na mão e me entregou saindo em seguida, abri o papel e estava escrito "Me add,  Angélica" e tinha o número do telefone. Entendi que ela queria entrar em contato, imaginei que Angélica deveria ser a menina que me mandou o beijo, guardei o papel no bolso, assim que cheguei no carro coloquei-o no cesto de lixo que fica na pendurado no câmbio de marchas.


Fui para casa e deixei as coisas mais prontas possível, tomei um banho, me vesti a vontade afinal não queria ser formal de mais, não dentro da minha própria casa. Fiquei vendo TV aguardando Nádia chegar, ela chegou por volta das 19:00 toda feliz, levantei me para abraça-la e ela se jogou em cima de mim, peguei-a no colo e nos beijamos, era um beijo feliz e caloroso "Estou tão feliz amor!" sorri para ela e disse "Também estou, parabéns Doutora" ela riu e me deu uma mordida na bochecha, saiu do meu colo e começou a desabotoar a calça "E a Gabi, tá melhor?" eu sentei no sofá e disse "Sim, falei com ela, vamos ver no que dá", "O cara vai separar mesmo?", olhei para ele e fiz que sim com a cabeça "Vai mesmo, mandou a real, falou que estava comendo a ruiva" Nádia levantou as sobrancelhas "Vish nossa, que merda" afirmei novamente com a cabeça e então ela me surpreendeu "E ae, comeu?" terminando de falar ela tirou a blusa e ficou de calcinha e sutiã, olhei para seu corpo e senti uma pontada, era deliciosa e respondi "Não, claro que não" ela torceu a cara pra mim e disse "Sei", saiu com as roupas na mão e desabotoando o sutiã, subiu as escadas e desapareceu, voltou dois segundos depois "Comprou tudo certinho?" eu disse "Comprei, ta tudo na mesa" ela disse "Que bom, vou tomar um banho e já volto, tá? As meninas vão chegar lá pelas oito e meia" eu disse "Ok" e ela desapareceu novamente.


Assisti um pouco de Tv e depois de uma hora mais ou menos Nádia desceu da escada, usava uma calça legging preta com detalhes azuis nas laterais das coxas e nos tornozelos, um tênis branco, usava também uma blusinha de alcinha preta e aparentemente estava sem sutiã, seus seios estavam lindos e os biquinhos estavam salientes. O Telefone de Nádia tocou e ela atendeu rápido "Oi ... ta bom, me liga quando eu chegar e eu abro a garagem pra você", desligou e eu perguntei "Quem é?" ela disse "A Dani, você vai adorar ela amor, faz tempo que não falamos" e juntou as mãos, como se lembrasse de algo bom "Você gosta mesmo dessa Dani ein" eu disse, ela sorriu e me deu um beijo na bochecha "Ciúmes é?" e saiu andando até a sala de jantar, ouvi seu celular tocar de novo "Alô, ta bom, beijo", em seguida gritou pra mim "Amor, abre o portão pra Gabi", abri o portão e ouvi o carro da Gabi entrando, olhei pela janela e vi ela passando batom e olhando no retrovisor, ri sozinho.


Menos de um minuto depois ela entrou, usava um tomara que caia azul escuro que deixava seus seios em pé, uma saia até os joelhos na cor preta, usava meia calça escura e uma botinha de amarrar na cor preto fosca, assim que entrou perguntou baixinho "E a Nádia?" eu apontei pra sala de estar e ela viu Nádia abaixada pegando algo atrás do sofá, Gabi então me agarrou pela camiseta e me deu um beijo nos lábios, um selinho, em seguida sorriu e passou a mão nos meus lábios tentando limpar resquícios do batom, saiu em direção à sala de jantar e eu passei a mão de leve na sua bunda, ela acelerou o passo e olhou pra mim mostrando a língua, dei um tempo na sala e o Telefone da Nádia tocou novamente, alguns segundos depois Nádia gritou "Amor, abre o portão, as meninas chegaram"


Apertei o botão e o portão se abriu, em seguida olhei pela janela, o carro era gigantesco, muito grande e alto, não consegui identificar o modelo, não consegui ver ninguém dentro por era completamente negro, vi então a porta se abrindo, não queria que me vissem espiando então voltei para a sala e me sentei no sofá, Nádia e Gabi vieram até a sala e ficaram esperando elas entrarem, segundos depois a porta se abriu surgiu uma menina alta e magra, com os seios grandes, vestia uma camiseta branca com um coração desenhado e uma calça jeans com um tênis branco, tinha um corpo esguio e toda a roupa era bem colada mostrando que era muito gostosa, sua pele era levemente morena, seus traços eram finos e seus olhos castanhos, seu cabelo era negro e grande "Oi, você deve ser a Táta" a menina sorriu e vi seus dentes brancos perfeitos "Sim, sou eu, você é a Nádia né?" Nádia acenou com a cabeça e elas se abraçaram brevemente, Nádia apresentou Gabi e me apresentou, Táta beijou Gabi mas esticou a mão para me cumprimentar "Prazer, Tamires" eu sorri "Rafael" ela também sorriu, parecia ser muito educada.


Mas o que veio atrás me fez perder o fôlego de verdade, vi primeiro uma mão branca bem clara entrando, os dedos tinham tatuagens que não consegui compreender ao longe, em seguida a dona da mão apareceu "Estava procurando meu celular" sua voz era doce e firme, soou como sinos angelicais tocando, mais um passo e eu a vi por inteiro, seu cabelo era de um azul forte e escuro, sua pele era branca, usava uma blusinha parecida com a de Nádia, mas na cor branca e seu corpo era todo tatuado, tatuagens coloridas, notei um grande D&R no seu peito adornada por uma linda águia de cabeça branca com as asas abertas, ela usava uma calça preta e com vários bolsos, percebi que não estava muito apertada, ela olhou para Nádia e gritou "Nadiiiiii" correi e abraçou Nádia com força, vi que ela e Nádia eram praticamente do mesmo tamanho, também era pequena "Que saudade de você meu amor" Nádia também a abraçou forte, ficaram constrangedoramente abraçadas por alguns segundos, se soltaram e pegaram uma a mão da outra e ficaram se encarando sem nada dizer, até que Nádia disse "Você está bem?" Dani apenas sorriu e fez que sim com a cabeça discretamente Nádia apontou para Gabi e disse "Essa é minha irmã", ambas soltaram as mãos e Dani se virou para Gabi "Que linda", abraçou Gabi e ficou de costas para mim, inevitavelmente eu olhei sua bunda, a calça estava realmente enfiada, como se estivesse a vácuo, sorri para mim mesmo.


"E esse é meu marido, Rafael" apontou para mim, sorri e estendi a mão, Dani se aproximou com dois passos de mim e ficou a menos de dez centímetros de mim, me assustou um pouco e tive o ímpeto de recuar, mas ela me deu um beijo no rosto e me abraçou, esmagando os seios em meu peito, senti o calor do seu corpo, era mais quente que o normal, me deu um beijo no rosto e disse "Muito Prazer, gosto muito do seu nome, se eu tiver um filho ele se chamará Rafael" e sorriu para mim.


Percebi então o porquê de Nádia gostar dela, era uma daquelas pessoas abençoadas pelo toque da vida, era Bonita, Inteligente, Elegante, Gostosa, Educada, Encantadora e Rica, tirei essa última conclusão pelo carro que chegou em minha garagem.


Fiquei um pouco assustado pois percebi que Dani me olhava nos olhos, parecia querer descobrir algo, ler algo que estava dentro de mim, desviei o olhar como reflexo, Nádia me ajudou "Vamos lá pra dentro gente, temos tanto para conversar".


Fomos para dentro e sentamos, Gabi sentou-se do meu lado bem junto, se ajeitou se encostando em mim, vi quando Dani olhou rapidamente, era observadora, provavelmente já havia entendido o que se passava ali.


O Celular de Tamires tocou, ela falou brevemente e se levantou "Nádia, desculpe, mas tenho que ir", Nádia disse "Eu sei, sua tia avisou que seu marido vinha te buscar" ela sorriu, Tamires cumprimentou todos com um beijo, inclusive eu e saiu porta a dentro, abri o portão e ela saiu entrando no carro do marido.


Nós quatro conversamos e saboreamos o vinho e o fundoe de queijo, em seguida o fundoe de chocolate, Nádia e Dani conversavam alegres sobre os tempos no Canadá, que pareceram realmente divertidos, elas saíram para patinar, para dançar, para caminhar, tiveram muitas amizades, até que Dani foi dizer algo e se conteve olhando assustada para Nádia, como Dani era muito branca ficou corada rapidamente, vi seu rosto ficar vermelho e Nádia disse "Pode falar querida, o Rafa e eu temos um relacionamento aberto", Gabi fez uma careta e olhou pra mim sussurrando "Como assim?", agarrou meu braço, Nádia então disse "Olha lá ele agarrado com minha irmã, tá doidinho pra passar a rola nela e ela doidinha pra dar pra ele" Nádia e Dani riram, senti uma pontada no coração e Gabi me apertou com força me olhando assustada em seguida Nádia e Dani beberam vinho, Dani disse "Ah gente, está na cara isso né" e as duas riram de novo, Gabi disse irritada "Está na cara o que?" Dani disse "Que vocês já transaram" ficou em silêncio, Nádia apontou pra mim e disse "Eu já sabia" e tomou outro gole de vinha, estavam completamente bêbadas, Gabi disse "Dei mesmo, e daí?" olhei para Gabi assustado e ela me deu um beijo nos lábios, assim que nossos lábios descolaram ela disse "Ah, é verdade mesmo, foda-se".


Entortei os lábios nervoso, queria correr e saltar pela Janela quando Nádia disse "E ae, vai querer comer quem essa noite?" eu achei não ter ouvido direito "Como é?" Nádia disse "Vou facilitar" tirou as alças da sua blusinha e colocou os seios para fora "Vai comer quem hoje? As três ou só uma?" meu coração bateu forte, dei um passo a frente na direção de Nádia mas Dani levantou a palma da mão pedindo para eu parar, tirou a blusa por cima da cabeça em um só movimento, seus peitos eram grandes, duros e levemente caídos, seus bicos era rosados e grandes, passou as mãos nos próprios seios e disse "Quem come ela sou eu" terminou de falar e agarrou Nádia, dando um beijo de língua nela, os seios das duas se roçavam e vi ambas se arrepiando, quando o beijo parou elas ficaram de testas encostadas e Nádia disse "Estava morrendo de saudade de você" e Dani riu "Eu também" abaixou-se e começou a chupar os seios de Nádia.


Senti Gabi me abraçando por trás e falou "Vamos fazer amor na frente delas mesmo?" eu estava confuso ainda e disse "Não sei", Gabi desabotoou minha calça devagar e eu continuava a olhar as meninas se agarrando, a cena estava deliciosa, Gabi então pegou meu pau e colocou pra fora e mexeu nele um pouco, sussurrou no meu ouvido "Vou te chupar e você fica olhando elas tá?" se preparou para abaixar e Dani olhou pra mim com uma das tetas de Nádia na boca, virou a cabeça e puxou Nádia para perto de si "Ah Nadi, é por isso que você quer sempre fundo, olha o tamanho dessa rola meu!". As duas se levantaram e vieram em minha direção, Dani puxou Nádia pela mão, vi seus seios brancos e tatuados balançarem, vi que tinha teias de aranha em volta dos mamilos, achei bonitinho e agressivo ao mesmo tempo, aquela experiência estava sendo um misto de sentimentos pra mim, as três se abaixaram se sentaram num banco e ficaram na altura do meu pau, Nádia pegou meu pau e ele estava mole, Nádia fez um carinho e colocou-o na boca "Que foi amor, não gostou" eu não consegui responder, a verdade é que estava apavorado, Dani disse "Ah, ele está acanhado tadinho" Olhou para Gabi e agarrou seu queixo dizendo "Você é muito gatinha sabia?" Gabi não disse nada, Dani aproximou os lábios dela e vi Gabi fechando os olhos, foi um beijo na boca sensacional, foi lindo de se ver, meu pau deu sinal de vida Nádia agarrou minha bunda, tirou minha calça e minha cueca, quando o beijo acabou Dani disse "Uau garota, você tem pegada" Gabi riu e Dani abaixou seu tomara que caia para mostrar os seios, Gabi usava um sutiã preto por baixo agarrou-o com as duas mãos e disse "Menina, que tetão gostoso" procurou Nádia com a mão e disse "Que genética ein" Nádia riu e Dani se levantou "Deixa eu dar um jeito nisso" me olhou novamente no olho, resolvi encará-la, tirou minha camiseta e passou a mão no meu peito, olhou para mim e sorriu, arranhou-me e vi seu lábio entortar em um sorriso, virou de costas pra mim e começou a esfregar a bunda em meu pau, no começo devagar depois mais forte, rebolou gostoso e meu pau começou a se acender, começou a dar sinais de vida, ela desabotoou a calça e Nádia ajudou-a a tirar, usava um shortinho minúsculo preto por baixo, suas pernas também eram tatuadas com desenhos coloridos.


Dani se abaixou para beijar Nádia e empinou a bunda agarrei-a pela cintura e puxei-a para mim, ela nem se importou, meu pau rocou em sua bunda e no shortinho enfiado, agarrei nas laterais e puxei para baixo, ela se levantou rápido e se virou, colocou o dedo nos meus lábios "Calma tigrão, ainda não",  me puxou pelo pescoço me dando um beijo na boca, era quente e molhado, delicioso, sua língua parecia grande e preenchia minha boca de uma maneira totalmente desconhecida pra mim, mordeu meus lábios e seus seios com bicos duros roçavam meu peito.


Agarrou meu pau com a mão e punhetou-o algumas vezes "Ah, está vendo, consegui" se abaixou e abocanhou-o, Nádia se aproximou e dividiu meu pau com ela, era uma cena deliciosa, elas se beijavam e beijavam meu pau, Gabi ficava apenas olhando, Dani passou a mão na cabeça de Gabi e dei um beijo na boca dela, puxando-a em direção ao pau, Gabi abocanhou também, e as três ficaram beijando e lambendo, em um momento as línguas de Gabi e de Nádia se encontraram.


Dani beijou Nádia com força e acariciava a cabeça de Gabi que acariciava meu pau, acariciou então a cabeça de Nádia e passou a beijar Gabi, deu uma chupada na cabeça do meu pau e puxou a cabeça de Gabi e Nádia para a mesma direção, ambas abocanharam meu pau, cada um de um lado, Dani então tirou meu pau da boca delas e colocou a língua, Gabi chupou a língua de Dani com vontade, em seguida foi a vez de Nádia, Dani então afastou a cabeça e empurrou Gabi e Nádia uma para a outra, seus lábios se tocaram e elas se olharam, Gabi fechou os olhos e Dani disse algo para Nádia no ouvido, Nádia sorriu e beijou Gabi no lábios, foi um beijo breve, mas quente e molhado, as línguas se entrelaçaram e vi Gabi ficar ofegante, Dani me olhou e deu uma piscadinha.


Meninas, temos um trabalho aqui, agarrou meu pau e começou a punhetá-lo com força, e mais força, eu tentei escapar, afinal queria comer as tres a noite inteira, não queria gozar agora, Dani apertou meu saco e as três começaram a chupar e a lamber, as três me acariciavam e se acariciavam, eu avisei para elas pararem pois iria gozar, mas elas não pararam, Dani afastou o rosto e acelerou a punheta até que comecei a gozar, Dani direcionou o jato de porra quente na cara de Nádia, o primeiro jato atingiu-a na bochecha, Dani virou para Gabi que recebeu mais uma estocada no nariz, em seguida abocanhou-me e ficou chupando e me olhando, gozei muito mas muito em sua boca, não tenho ideia de quanto mas ela engoliu tudo, assim que terminou abraçou as meninas e as beijou, elas limpavam a porra de seus rostos.


Dani levantou-se e puxou Nádia pra si, passou a mão em meu peito e mandou um beijinho, puxou Nádia para o sofá, Gabi se levantou e sentou no sofá do lado oposto limpando o rosto com um lenço de papel, sentei ao seu lado ofegante e ela disse "Se prepara ai que você vai me comer a noite toda", percebi uma certa moleza na voz de Gabi, estava completamente bêbada, ela se levantou e percebi que ela havia tirado a saia e a meia calça estava enrolada nas canelas, ela tirou as botas e se esticou, se aproximou de mim e sentou juntinho "danadinha essa amiga da Nadi né?" apenas assenti com a cabeça, pois estava assistindo uma cena do outro lado da sala.


O canto estava escuro, iluminado pela luz que vinha da lua passando pela janela do quintal, vi quando Dani deixou Nádia peladinha, ambas se beijavam e namoravam muito, Nádia se sentou e Dani sentou no seu colo, ficaram se beijando e se agarrando como duas adolescentes por lésbias perfeitas namorando. Dani se abaixou e começou a chupar a buceta de Nádia, fazia ela gemer como eu nunca havia conseguido, Nádia gemia alto e gostoso, Dani hora apertava suas coxas, hora apertava seus seios e escorria a mão por sua cintura,


Gabi subiu em meu colo e passou a mão no meu pau, percebi então que eu estava muito excitado, Gabi direcionou para a buceta e sentou nele fechei os olhos pois a sensação era muito boa, agarrei Gabi pela cintura e apertei, beijei seus seios e apertei sua bunda, o sexo com Gabi estava delicioso mas eu estava muito interessado no que acontecia do outro lado da sala, voltei a olhar e Nádia estava deitada embaixo de Dani no sofá, estavam na posição papai-mamãe. Dani colocou a mão entre as pernas de Nádia e Nádia gemeu jogando a cabeça para trás, em seguida Dani fez um movimento como de se estivesse colocando um pau dentro de Nádia, Nádia a agarrou com as pernas e disse "Ai Dani, aaaaiiii" Dani então começou um vai em vem em Nádia, achei esquisito, mas o álcool na minha cabeça me deu a resposta "Era um consolo, elas estava com um consolo, vi que na cintura de Dani passava um pequeno fio preto, parecia uma calcinha fio dental, devia ser o que segurava o acessório.


Nádia gemia como louca, hora Dani chupava seus seios, olha metia sem dó, eu gritei "Meninas, tem pau pra vocês aqui, não precisa brincar com esse de borracha", Dani me olhou e as duas riram se abraçando, Nádia se levantou e ficou de bruços na mesa de estar, Dani encaixou-se por trás, estava escuro eu mal podia ver a silhueta do corpo de Dani, e vi Dani comer Nádia com violência. Senti um tapa forte na cara "Olha pra mim caralho, deixa as vagabundas treparem", me concentrei em Gabi, peguei-a no colo e coloquei ela igual à irmão, de bruços na mesa e enfiei o pau em sua boceta, ela gemeu, se a mesa não fosse tão comprida poderia ver Nádia e Gabi se beijarem novamente mas elas estavam muito longe e se tocaram nas mãos, agarrando-as e Nádia disse "Gabi, somos duas vagabundas", Gabi riu e disse "Se a mamãe visse a gente agora ia nos deserdar" todos riram, aumentei o ritmo, Gabi gozou, senti ela tremer e ouvi-a gemer, parecia que Dani e Eu competíamos para ver quem comia mais forte as irmãs.


Eu me sentia muito cansado, gozei dentro de Gabi umas duas vezes, meu pau ainda ficava duro, vi os seios de Dani pularem enquanto ela comia a Nádia, Dani então olhou para a buceta de Nádia e pegou em algo, creio que posicionou o pau de borracha no cuzinho de Nádia. "Aaaaiii Dani, não" Dani se debruçou em Nádia e beijou-lhe as costas "Calma meu amor, eu já te machuquei antes?" "Nádia de olhos fechados disse "Não, nunca" então ela disse "Confia em mim tá?" Nádia fez que sim com a cabeça e com a cara franzida, Dani então entrou no cuzinho de Nádia devagar e mais devagar, passava a mão até que Nádia se jogou na mesa exausta, Dani então começou a comer seu cuzinho.


Fiz igual, posicionei no cuzinho de Gabi e ela disse "Não amor, aqui não" eu disse "Ta bom, vou lá comer o cu da Dani então" Dani riu alto e me chamou com o dedinho, ouvi ela dar um tapa na própria bunda "Se você aguentar come aqui, quero rola hoje", Gabi disse alto "NÃO" olhei para e ela se sentou na mesa, me chamou e disse "Devagar ta, bem devagar", eu fiz que sim com a cabeça e ela falou "Eu te amo tá, não me machuca" eu disse "Prometo que não machuco, meu amor".


Gabi se debruçou na mesa e encontrou as mãos de Nádia, as duas se agarraram, e eu comecei a comer seu cuzinho, ela sussurrava baixinho e pedia para ir devagar, então ela disse "É muito grosso amor, aaaaiii", Nádia disse "Pega leve com ela amor, ela é cabaça" e Gabi disse "Come vai, come tudo", fui enfiando até atingir o máximo que deu, tirei e comecei a comer devagar, gabi começou a gozar e a se tocar na boceta. Nádia disse "Dani não aguento mais gozar, para", Dani disse "Falta eu", bombei mais rápido em Gabi e gozei duas vezes sem tirar o pau de dentro, na segunda foi mais uma pincelada pois já estava exausto, peguei Gabi no colo e sentei no sofá com ela aninhada em mim.


Fiquei olhando Dani comer Nádia e eu disse "Dani, para com isso ai e vem aqui levar rola", Dani riu e disse "você não ta se aguentando em pé, não vai aguentar me comer, deixa eu comer a Nadi por que ela é muito gostosa, to quase gozando".


Observei por alguns minutos elas transando, Nádia começou a se tocar e a gozar de novo, Dani acelerou o ritmo, provavelmente havia voltado para a boceta, Nádia tremia e ficava de boca aberta "Ai Dani, ai Dani, ai Dani" tremeu e Dani urrou "Aaaaa Nadi, sua gostosaaaa"….as duas ficaram quietar por alguns segundos e eu comecei a adormecer, Gabi já estava dormindo, abracei-a pois estava muito quente e gostosa de se agarrar, comecei a adormecer, abri os olhos e vi Nádia pulando no colo de Dani, estava cavalgando, vi a calcinha fio dental preta de Dani jogada no chão e fiquei confuso, queria acordar mas não conseguia, aquilas mulheres me esgotaram, não resisti e dormi. Vi os vultos de Nádia e Danielle andando pela Sala, senti uma coberta sendo jogada em cima de mim, agarrei Gabi com força e ela sussurrou "te amo"..

Vício em pornografia? Saiba como parar!
eBook - Como Provocar Orgasmos Femininos?
A Máquina De Vendas Online