Caminhamos sobre as explososes pois estavamos muios machucados para poder voar, ouviamos os gritos dos caçadores no campo de mitra. Ao deixa-los ali, nos iriamos enfretar os 3 juizes da cidade da babilonia. A caminhada foi penosa, tivemos que desvia de alguns buracos feitos sobre as guerras que tiveram naquele lugar, aquilo estava cheirando a uma carnificina.


Olhei para todos, nao estavamos nos melhores dias, Rosalie, estava toda suja, seus cachos ruivos estavam amasados, suas lindas botas estavam acabadas, e agora estava andando descalsa, Iety e Erika estava destruidas, pois toda sua roupa estavam esfarapadas. Leo estava sem seus oculos, mas nao parecia se incomodar, Gui estava pior, seus traços estavama inda mas escuros, como se estivesse preparando psicologicamente para ver o cara quliomatou seu irmao, antes de entrarem na Fortaleza infinita. Julio, estava ajudando a Erika a andar, parecia bem humorado para alguem que teve que se certificar de masi de 60 caçadores sedento por sangue nao sairem de suas prisoes improvisadas de terra, Eduardo olhava para o horizonte, nao sabia o que se passava em sua mente, mas duvidarias se eram coisas boas, ele andava preocupado com seu pai que nao tinha dado noticia. eu estava ruim, minha mente se procesava em fazer udo dar certo, eu comecei com tudo aquilo, peguei meu cordao que estava pendurado em meu pescoço, ele parecia que estava mais pesado e mas quente, desde de que eu comecei a lidera os meninos, eu tentei nao chora por todos aqueles que estava morrendo e pelos que tinham morrido.


Vimos o castelo dos Caçadores, uma construcao feita de Onix e pedras de granito, resistente o bastante ate paa uma bomba nuclear. Suas portas era pelo menos uns 5 metros, Julio ficou em nossa frete, em com alguns movimentos com a mao, a forcou a abri.


- E nosso plano de invasao ser discreta esta sendo otimo ate agora, ne meu lindo?? - ironizou a Erika olhando torto para Julio.


- Tambem te amo minha linda. - Respondeu ele com um belo beijo no ar.


O hall de entrada era gigante, parecia um armazen, mas a moda antiga e medieval. Com varios pilares com as cores dos caçadores, vermelho, cinza e preto. No fundo da sala tinha uma escada que dava para dois lado, olhei para o Leo.


- Leo, por favor me diz que pode localizar eles? - perguntei quase nao saindo a voz de pavor que eu estava tendo.


Ele se concentra, isso demorou um pouco, ja estava tentando a dizer para todos sairem. Mas quando ia dizer o Leo abre seus olhos.


- Não sei se eles estao aqui, pois tem alguma coisa interferindo meu poder, mas, achei a sala dos tronos. - disse ele.


Subimos as escadas e dobramos a direita, fomos para um grande corredor, subimos mas algumas escadas ate que nos deparamos num pequeno corredor. Uma linda porta d eouro maçica se encontrava na nossa frente a pelo menos uns 15 metros. A luz fraca das lampadas a deixavam ainda mas linda, ela se abre por um segundo e todos ficaram atentos. Se acontecese uma luta naquele peuqeno correedor estariamos ferrado. Ele esra estreito demais. Contei ate 25 e tentando fazer minhas batidas cardiacas voltarem ao normal. Nada aconteceu.


Seguimos por esse corredor, todos atentos. Meu cordao parecia mas pesado do que o normal, e percebi que os meninos sentia isso vindo de cada cordao.


Abrimos a porta e vimos, a sala deveria ser grande o bastante para poder colocar umas 100 pessoas ou mas, no centro havia um trono, uma cadeira de madeira, em cima de alguns degraus, a cadeira com as costas altas, todo pintado de vermelho, um arco e aljava estava posto atras da cadeira, com uma espada atravessada no meio dos dois. Mas o que era estranho era os dois tronos botado em cada lado do maior deles, pareciam ter botado ali a pouco tempo, o que deixou a sala meio desporpocional, o teto meio abobadado era cheio de estrelas e costelacoes, as paredes em volta eram cheias de pinturas feitas a mão, varias imagens de guerra que eles ganharam e os outros imperadores dos Caçadores estava la, a foto do Yan estava pintada.


Olhei em volta e nada, estava ficando ainda mas preocupado por tudo aquilo, a espera me deixava agoniado, ate que sinto um frio na minha costa, quando olhei jurava que era o Edu, pois de vez enquando ele fazia isso. Mas nao era, e como um assuvio agudo olhei para o trono do imperador.


- Voces ouviram isso? - perguntei olhando fixamente para o trono.


- Ouvimos. - Responderam em unisoon.


Todos ficaram de costa um para o outro, formando um circulo perfeito. Um vulto passo na minha frente, clarei mas meu campo de visao, formando uma bela bola de fogo, que engolia minha mao, nao podia me queima e sentia seu calor, apenas sentia como se estivesse botado alguma coisa em minha mao. Ate que uma risada fria passar por meus ouvidos, vinda diretamente do trono da direita. Como uma piscada de olho, ele apareceu sentado no trono.


Um homem alto, com olhos verdes penetrantes, seus cabelos pretos cortados em sentido militar, seu corpo forte da cor de ambar, seus bracos que estavam com uma grande tatuagem de um talisma acho eu, usando uam camisa branca e calças jeans, com uma jaqueta de couro por cima de sua camisa branca, ele ria, quando percebi mesmo quem era, me deparei e me perguntei como ele apareceu ali muito rapido?


Ele ria, e ria, parecia esta se deliciando com a cema.


- Ola meus queridos guerreiros! - sua voz era calma, como uma brisa antes de se forma em uma tempestade.


- Quem é voce? - perguntei


- Acho que seu amigo ali. - Apontando para o Leo - Sabe quem sou, não é mesmo, senhor Leonardo Mc\xc2\xb4lean.


Olhei para o Leo, todos estava suspeitando quem era. Mas ele nao parecia com um dos tres juizes, se bem que nunca vi uma foto se quer deles, mas ele tinha cara de ter uns 20 anos, nao de um cara de malvado, sem a risada malevola dele, poderia se passar por um joven normal. Não por um psicopata.


- Ele é o leitor de mente o telepata. Litios. - respondeu ele.


Litios riu, percebendo que foi reconhecido. O pequeno (literalmente, pois deveria ter 1,60), psicopata nos observou e disse por fim.


-  Assim que entraram nesse castelo, cavaram suas proprias covas.


O vento comecou a rodar mas rapido, eu me sentia como se pudesse voar, sem a ajudar de meus poderes, era ele. Leo ficou na nossa frente e ele teve um contra ataque, comecei a me sentir mas pesado, meu corpo parecia que estava numa armadura feita de cimento. Nao conseguia me mexer.


- Voce vai pagar, pelo que fez com aqueles Caçadores, bagunçando as mentes deles. - gritou em resposta para o Litios.


- Veremos se serao mesmo cpazes de contra 3 juizes da cidade da Babilonia. - ria ele.


Eu ja estava me enjoando daquilo, meu estomago queria ficar fora do meu corpo. Ate que ouço alguns passo saindo de um pequeno corredor, atras a passos lentos vinha um homem lindo, ele ao se aproximar, vi seus aspectos. Alto, deveria esta em seus 1,80 seus cabelos de um preto meio cinza, dos olhos mais azuis que ja vi, seus musculos o defeniam em uma camisa verde, uma calça jeans bem apertada, ele era lindo. Ele ezelava, charme, estilo e beleza, como se nao fizesse esforço para ser bonito.


- Pare com isso, Litios. - disse ele com um falso sorriso. - Não vamos matar nossos \’\‘colegas\’\’ de luta, antes de nosso plano der certo.


Ele me lembrava muito alguem, mas algo dentro de mim, falava que eu deveria ter odio dele, nao me apaixonar. Sua voz era melodiosa, parecia que estava cantando uma musica, mas nao se importava que letra ele estava cantando, era a voz dele que me deixava realaxar.


- Ele esta usando o charme. - disse Rosalie, como se isso fosse obvio demais.


- Voce deve ser a Rosalie. - olhou para ela com desprezo. - a guerreira que leva o cordao de Virgem.


- E voce quem é? - perguntou ela.


- Eu sou Julian. Fui um dos maiores guerreiros dos 12 na minha epoca. - disse ele ao se ajuntar com Litios


- Por que voce nao me deixa logo acabar com eles. - resmungo Litios.


- Devemos espera Dustin chegar… e acho que ele chegou. - olhou para a frente.


Saindo do corredor da onde estavam, veio um cara musculo, um tipo de lutador de luta livre, ele tinha cabelos cinzas e olhos da mesma intesidade, usava uma camiseta com a frase: Eu te mato apenas com um olhar, junto com uma bermuda de surf e tenis de corrida, se ele nao tivesse o aspecto de assasino em serie e estivesse saindo faiscas de eletrecidade de seu corpo, jurava que ele era apenas um lutador.


- Chegou quem eu estava querendo. Guilherme. - disse ele.


Gui quase voa em cime dele, mas Rosalie pegou em seu braço, disse alguma coisa em seus ouvidos e ele relaxou. Julian olhava para mim como se estivesse me mandando alguma coisa, uma emocao, relaxar e sair dali. Ate que um lampejo de memoria me veio em mente, a voz dele era um tom melodioso, como se poderia me matar com apenas a voz. Foi quando lembrei da ultima vez que ouvi essa voz, chorei ao sentir a dor da perda. Era ele, o que tinha matado minha mae, Julian foi o assasino de minha mae.


- Foi voce que matou minha mae - disse eu chorando - Foi voce.


Ele girou e como uma pequena fumaça, uma grande capa negra o cubriu, a mesma que ele usava naquele dia, seus olhos estava apenas aparecendo, frios e sedentos de sangue, aqueles olhos poderiam me congelar e me seduzir


- Claro que fui eu, ou seria quem? -pergunto ele. - Meu senhor, me mandou nessa missao, ele queria matar voce, mas como nao conseguimos, por causa da sua meidique mae, mas dessa vez - ele respirou fundo - eu vou terminar minha missao.


Nao resisti, ele girou e voltou a ser o homem que vi primeiramente. Corri para bater nele, minhas maos estava com duas bolas de fogo, ele dsviou, e o caos comecou. No que eu estava pensando? A aura dele me precionava a ficar relaxado, mas eu resistia a mim mesmo.


- Voce nao vai conseguir me matar, vou sair daqui com a gloria que queria. - dizia ele rindo de mim.


Meus poderes estavam aumentando e isso eu percebia, o fogo crepitava em minha mao e criava, lancei mas bolas de fogo e ele parava elas com a propria mao. Dei um chute nele, mas ele pegou meu chute e me jogou na parede, so assim que percebi o que estava acontecendo a minha volta, Gui, Iety e Julio lutavam contra Dustin, Leo e Erika estava contra Litios, a pressao que eles estavam fazendo mexia com toda a sala, era como uma bomba nuclear, Rosalie e Edu estavam atacando o Julian.


Edu congelavam e Rosalie estava tentando fazer ele se atacar, mas ele era muito mas poderoso. Ouvi uma explosao e vi que era os raios de Gui e Dustin se encontrando, o teto foi posto em buracos, como se o teto tambem quisesse entra na briga. Desvie dos pedacoes de teto caindo, por sorte uma nao caio em cima do Edu, eu tive que corre e pegar o Gui para nao cairem em cima dele. As pedras que caiam perto do Leo e do Litios eram desviados com seus proprios poderes, eles tentavam se vencer em uma guerra psiquica, uma coisa de doido, eu podia ouvir os pensamentos dos dois, uma vastidao de pesamentos veio como uma avalanche sobre mim e nos outros.


- Voces vao morrer, suas pragas - Gritou Dustin.


Outro raio saio das maos dele, agora ia acerta o Edu. Corri sem pensar no que poderia acontecer, mas o Gi foi mas rapido que eu, sentido todo o impacto do raio, ele gritou e devolveu o raio, com mas força e velocidade Dustin nao consegui desviar, o raio deu seu impacto que ele saio voando ate para do lado de fora da sala, quebrou a parede e caio em queda livre para o chao do lado de fora do castelo. Olhei para o Gui e ele tinha desmaiado, Iety correu para ajuda-lo. Menos um.


Erika consegui por um milagre nao ser esmagada pelo seu proprio golpe. Lancando uma bola grande de energia ela se pos a atacar Litios. Ele percebendo, derrubou uma coluna atras de Leo, que ele logo desviou dela, Erika nao percebendo Litios atras dela vacilou em sua retarguada, ele levitou a bola e jogou para cima dela, por pouco, se nao fosse o Leo, ela deveria esta agora morta. Ele ficou na frente dela e parou com sua mao direita, e devolveu, Litios com seus olhos sanguinarios iria desviar, mas algo prendeu ele no chao, Julio consegui prendelo no chao, o ataque foi certeiro que ele entrou dentro da bola de energia e vi ele explodir, mas ele tinha desaparecido.


Leo desmaio e o Julio e a Erika o seguraram. Rosalie tentava atacar dando lhe chute e socos, mas ele era mas rapido, se movimentava como um guepardo, ainda mas que o chame dele fazia meus musculos quererem para de luta e descansar.


- Corram, eu sou perigoso. - dizia ele.


Eu estava tentadado a fazer isso, e o Edu tambem, os meninos estava la tras, curando suas feridas, ate que ouco uma explossao la fora. A batalha no campo de Mitra estava ficando pior, nao tinhamos como ajuar assim daquele jeito, a cura d emeu corpo demorava. Ate que Rosalie usou seu proprio charme.


- Quem disse que eu deveria fujir, voce deveria fujir pois eu sou mas poderosa que voce. - dizia ele, o som de sua voz era confiante.


Eu me sentia com mas confianca com aquelas palavras. As palavras ainda nao surtiam o efeito desejado.


- Menina, quer mesmo jogar suas palavras contra mim, que sou um mestre? - Respondeu ele.


- Sim, um mestre que devria esta morto, que voltou para sua antiga gloria, que nao deveria esta aqui. Voce é o perdedor, voce nao suportou morre pelo visto. E teve que se aliar ao nosso verdadeiro inimigo para que? Uma vida nova? - perguntava ela.


O ar estava ficando mas frio, alguma coisa emanava naquele homem e nao sabia o que era. Ate que ele ri, um riso frio como um bloco de gelo sendo cortado em milhares de pedacos. Aquela risava me fazia sentir o peso de uma pessoa louca.


- Voce nao sabe como é o mundo dos mortos menina tola. - rosnou ele.


- Você vai volta para la. -disse ela.


O suor escoria no rosto dela, e nem um pingo de suor sair do rosto dele, eu via que quem abaixase a guarda, iria cair. Ela olhou para mim, eu sabia o que dali daria. Ele com um passo para tras lancou uma onde de energia. Eu ja estava cansado, meu corpo pedia para parar e desisitr, pareceia que minha raiva dele estava diminuindo. Até que num vislumbre olhando para ele, eu vi a forma que ele usou para poder matar minha mae. Aquilo encheu meu pulmao de raiva e gritei.


Corri entre ele, comecei a fazer um redimoinho em sua volta. Fogo sai de minha mão, uma rajada de fogo verde, ele estava sem saida, ouvia ele gritar, meu corpo nao dava ouvidos, meus cerebro nao ligava para ele, minha adrelanina estava mais alta do que poderia, eu ouvia a Rosalie falando comigo, palavras de incentivo. Ouço uma explosao na parede atras de nos, nao conseguia ver quem era, mas suspeitava quem era.


- Morra seu desgraçado. - gritei.


O furacao que criei pegou ele de jeito, ele foi subindo junto com o furaçao de fogo. Subindo aos ceus, ele virou uma bola de fogo. que ao cair com um banque surdo. Esperei alguns minutos, fui ate aonde ele caio. Nao vi nem corpo. Respirei fundo, ele nao podia ter…


Afujentei os pensamentos de minha mente, voltei para os meninos. Seu corpo nao estava la. Para onde ele tinha ido?


Uma risada veio do lado de fora. Olhei para o buraco que o Dustin caio e ele estava la em pe.


- Podem ter consgeuido uma pequena vitoria, mas nunca vao conseguir vencer realmente a destruicao dessa cidade mediocre. - Ria ele.


- O que voces fizeram? - perguntou desa vez a Rosalie, usando toda sua persuazao.


Meu corpo tremeu, eu sentia uma nova aura de força nela, parecia que seus poderes estava aumentando.


- Uma bomba na prefeitura. - respondeu ele num transe - Mas nunca vao chegar la a tempo. - Ele rio e tirou de seu calção um cronometro.


Jogou para a mão dela, era um relogio, marcando apenas 5 minutos. Ele rio e eu nao tinha visto que ele tinha jogado um relampago, ate Rosalie se meter na minha frente e receber toda a carga. Ela caio no chao, o relogio tinha explodido, tentei chegar perto dela, mas levava choque. Guilherme tinha gritado ao ver isso, correu e nao se importou em ficar levando choque, se aquilo fosse verdade eu nao poderia deixar acontecer. Mas, ela estava ali deitada no chao desacordada.


O cordão brilhou, e toda a carga de eletricidade tinha subido, e explodido ao ceus como um rugido de um leao. Ela despertou e seus olhos agora estava brancos, se alevantou e olhou para Edu e disse.


- Temos ainda trabalho a fazer. - disse ela.


Guilherme a beijou.


- Voces estao ainda feridos, - disse ela, apontando para os meninos. - Ainda temos que ajudar os caçadores, eu e o Edu tomaremos conta. - Disse ela, meu corpo estava recebendo energia apenas com aquelas palavras, eu sentia que ainda podia lutar mesmo com minha feridas.


-Eu vou com voces. - disse Gui.


- Não. - respondeu ela, agora com seus olhos azuis de volta.


- Eu vou ajudar, ainda tenho… - ele vacilou e se nao fose for ela, ele ia acabar no chao.


- Eu disse que nao aguentaria. - disse ela com ternura. - Iety, cuide deles, agora vamos Edu.


-Perai ai - todos olharam para mim. - E esse bomba?


Todos ficaram olhando para mim.


- Voce é o unico que pode chegar la o mas rapido possivel. - disse a Iety.


- Não vamos arrisca a vida do Dan assim. - protestou o Edu.


Mas eles tinha razao, eu era o unico rapido o suficiente para chegar la e poder deter essa bomba. Eu estava me senteziando a morte, mas, tinha que ir.


- Vao, eu vou… -as palavras quasem nao saim de minha boca. - Vou deter essa bomba.


- Pera la, voces nao acham que aquilo deveria ser mentira daqueles ididotas. - disse o Edu nao acreditando que eu iria mesmo, e tentando impedir de qualuqer forma.


Olhei para o leo, ele por outro lado nao estava bem, ja tinha se esgotado o maximo com toda aquela aparicao e ainda mas com os poderes que teve para deter aqueles caçadores, fora a luta de Litios, eu sabia que ele nao estava bem, eu podia ver em seus olhos. Mas ele se esforçava para poder se parecer forte, mas eu e a Iety sabiamos que nao. Suas roupas estava perfeitas, mas com manchas de sangue em toda parte.


- Ele disse a verdade. - respondu ele.


- Nao. - repreendeu o Edu. - Se for, eu vou com voce.


- Eu vou.


O beijei e sai dali correndo, antes mesmo que qualquer um pudesse me para.


A prefeitura estava a quiometros de distancia da fortaleza dos caçadores, mas eu pude chegar la, os minutos passavam rapidos, eu tinha apenas um minutos para aquilo. Tinha pulado aquele buraco e saido correndo, o tempo nao me ajudava, eu vi os caçadores o quanto antes lutando, rezei para que eles tivessem sucesso, eu vi alguns deitados no chao, mortos e outros bastantes feridos. Mas mesmo asism nao diminui, eu estava chorando vendo aquilo e prometido para mim mesmo deter esses idiotas que voltaram do mundo dos mortos.


Varios policias estava na prefeitura, quando cheguei, eles estavam montando guarda para proteger a prefeitura, fora outros que rondava a cidade e apagavam focos de incendios. Quando pensei em respira um pouco, ouvi um grande Bum. Um grande cogumelo atômico apareceu, destruindo a prefeitura, rolei com o impacto para alguns metros, vi aquele fogo e so tive tempo de pensar no que eu fiz com o Julian. Corri para a explosao, ela estava aumentando, seu eue nao fizesse aquilo rapido a cidade baixa seria destruinda em segundos.


Corri o mas rapido que pude, e comecei a cria uma barreia de fogo, o fogo que estava saindo de minhas maos agora era azul, ele engolia as chamas e a explosao em si, mas eu lutava com a explosao, realmente nao sabia se ia funcioar, meu cordao brilou e gritei com toda a força, a explosao estava subindos aos ceus, meu fogo azul estava sobrepujando a explosao, a luz que eu emanava era como o brilho do sol. Gritei dessa vez e soltei o furaçao, meu corpo parecia que estava se desfazendo, molecas minhas se quebrando, meu corpo se despedaçando, caio no chao e vejo uma grande explosao ao ceu.


Caia varios pedacos de pedras em chamas no chão, eu tinha me esgotado, nao sabia se ia voltar a ver a luz do sol. A lua estava mas brilhante do que nunca. Eu via varias pessoas em volta, vultos se mechendo, e ouco uma voz que conhecia, ele estav ali, me pegou e tentava falar comigo. Eu ouvia ele de longe e dessa vez, nao voltaria mas a ve-lo novamente. Ele deveria ter me seguido.


Eu reuni minhas ultimas forças e falei.


- Eu te amo. Eduardo Rodrigues.


Apois isso apagueii

Vício em pornografia? Saiba como parar!
eBook - Como Provocar Orgasmos Femininos?
A Máquina De Vendas Online