Oi gente, desculpem por não ter postado antes, mas eu estava viajando.


Jãozinho: Obrigado! E desculpe a demora.


FASPAN: Um alívio para mim kkk


Edu19>Edu15: Obrigado!


TourinhoRenato: Tem que acabar kkk mas depois quem sabe não escrevo outros contos, não escrevo tão bem assim, tento aperfeiçoar, mas ainda está muito longe de estar bom, você pode escrever tão bem quanto qualquer um, se esforce, leia bastante e o mais importante, PRATIQUE!


RodrigoMineiro: Está acabando! Não vejo a hora, da muito trabalho kkk obrigado por acompanhar minha estória até aqui, abraços.


Dimmy: Own muito obrigado, fiquei bastante feliz em saber que em sua opinião meu conto é tão bom assim, um abraço!


Vi-nícius…: Faz parte kkkk


Maluco Apaixonado2: Que reviravolta mesmo kkk mas espero que vocês sejam muito felizes nessa nova etapa da vida de vocês, fiquei contente com a noticia do casamento da Dri, espero que ela também seja feliz nessa nova etapa, um abraço a todos. PS: Estou acompanhando seu novo conto e estou adorando hahaha.


Ru/Ruanito ***


prireis822: Obrigado por estar sempre acompanhando <3


Então vamos lá, esse saiu pequeno, mas vou tentar compensar no próximo:


- Fique longe dos drogados e tudo ficará bem - Disse Sofia enquanto estacionava o carro - Fique longe também das gangues.


- Sofia relaxe vai dar tudo certo - Pelo menos é o que eu achava até descer do carro e ser atingindo por um balão cheio de tinta azul - Droga! Essa camiseta foi presente do Vinícius!


- Tudo vai dar certo? - Sofia desceu do carro vermelha de tanto rir.


- Tá rindo do que? - Corri até ela e a abracei fazendo com que ela se sujasse também.


- Lucas! Não acredito! - Ela queria parecer brava, mas a força das suas risadas era maior - Você me paga!


- Se já entramos na chuva vamos nos molhar! - O primeiro dia foi bastante intenso, balões de tinta voavam por todo estacionamento, farinha de trigo e ketchup também e para a limpeza havia um camião de bombeiros molhando os alunos sujos, depois de encharcados Sofia e eu nos sentamos na grama - Isso foi demais!


- Nem me fale, tem farinha na minha bunda! - A maquiagem dela estava toda borrada por causa da água e seu cabelo ainda tinha um pouco de tinta - Pelo menos ninguém raspou nossas sobrancelhas.


- Sobrevivemos ao primeiro di… - Senti alguém me abraçar por trás me puxando fazendo com que eu rolasse na grama.


- Sobreviveu ao que amor? - Vinícius estava sobre mim todo sujo de farinha e ketchup.


- Eu tinha acabado de me limpar! - Reclamei.


- Uma pena! - Vinícius saiu de cima de mim e sentou-se ao lado de Sofia, me levantei e fui sentar em frente aos dois.


- Como foi seu dia? - Perguntei vendo aquele sorriso bobo que me deixava extasiado.


- Muita sujeira e alguns hematomas - Ele fez um bico - Bem que você podia cuidar de mim.


- Vou pensar no seu caso, vamos para casa? - Sofia levantou-se imediatamente.


- Não precisa nem perguntar duas vezes, preciso de um banho urgentemente!


- Vai conosco Vinícius? - Me levantei e o ajudei a se levantar.


- Claro! Eu teria que voltar de ônibus e eu ainda não sei o caminho para casa - Vinícius tinha um sério problema de direção, se o vendasse e o deixasse na rua de cima de sua casa ele não encontraria o caminho de volta.


<3


- Vinícius fique parado aí - O deixei na calçada de casa e fui buscar a mangueira - Você não vai entrar em casa assim! - Comecei a jogar água nele para tirar o excesso da sujeira.


- Meninos, aproveitando que vocês estão aí e lavem o carro - Sofia veio trazendo um balde com sabão e um pano - LUCAS! - Não ia deixar Sofia de fora da brincadeira então a molhei.


- Vem nos ajudar - Vinícius começou a tirar a roupa ficando apenas de cueca boxe preta no meio da rua - Tira a roupa amor!


- Sem chances! - Não ia tirar a roupa na rua.


- Se você não vai eu vou - Sofia começou a tirar a roupa e Vinícius assobiou incentivando, mesmo após a gravidez Sofia ainda mantinha seu corpo escultural com todas as curvas perfeitas, ela ficou apenas de sutiã e calcinha vermelha - Vamos lá Lucas, deixa de frescura!


- Tudo bem, vocês venceram - Tirei minha roupa ficando apenas de cueca fazendo com que os assovios de Vinícius aumentassem.


Começamos a lavar o carro que estava todo sujo de tinta e ainda bem que ela saía com água. Claro que fomos a atenção da rua, não era todo dia que se via aquela cena, muitas pessoas que passavam de carro ficavam olhando e alguns caras gritavam para Sofia a chamando de gostosa e para piorar algumas senhoras vizinhas colocaram cadeiras na porta de suas casas para assistir-nos lavar o carro. Vinícius levava tudo na brincadeira, ele de vez em quando pegava a mangueira e se molhava passando a mão em todo seu corpo levando a platéia a loucura. Terminamos de lavar o carro e entramos, Maria estava no colo da dona Judite nossa nova babá que era um amor de pessoa. Subimos para o quarto e Vinícius para minha surpresa não me agarrou como sempre fazia.


- Se eu não tivesse tão cansando já estaríamos trepando agora, mas eu preciso dormir - Ele foi direto ao banheiro.


- Seu linguajar me surpreende a cada dia! - O segui já o encontrando pelado, tirei minha cueca e fomos tomar banho - Também preciso muito dormir - Toda aquela agitação me deixou cansando, terminamos o banho, nos vestimos e fomos dormir.


<3


A semana passou rapidamente, estava cada vez mais empolgado com meu curso, realmente era aquilo que eu queria para minha vida. No sábado fui no shopping comprar um presente para Vinícius, pois na segunda-feira estaríamos completando um ano de namoro, comprei um kit de barbear e um par de anéis para trocarmos pelos antigos.


Decidimos não fazer nada muito grande, apenas um jantar em um restaurante próximo da minha casa. Eu não tinha mais a liberdade de andar de carro como na antiga cidade então Vinícius veio para minha casa e daqui iriamos a pé para o nosso encontro.


Ele chegou na minha casa perto das 19:00 hrs com um sorriso e um embrulho enorme.


- Isso é para você! - Ele me entregou o presente e me deu um beijo - Espero que goste - Nos sentamos no sofá.


- O que é? - Era um pouco pesado.


- Abra! - Então eu rasguei o papel de presente revelando uma caixa preta, abri a caixa e havia um violão dentro - Gostou?


- Eu adorei! - No violão havia escrito nossos nomes, era lindo e eu tinha realmente adorado - Mas eu não sei tocar - Desanimei na hora.


- Eu vou te ensinar bobinho! - Ele se aproximou de mim e beijou meu pescoço.


- Sendo assim eu vou gostar ainda mais do presente - Guardei o violão e peguei meu presente - Esse aqui é para você que está quase virando homem.


- Muito engraçado palhaço - Ele pegou o presente e enquanto abria eu tirei a caixinha com os anéis do bolso.


- E esse aqui é para nós! - Ele voltou seu olhar para mim e eu abri a caixinha - Que nossos anos juntos se multipliquem - Coloquei a caixinha na perna enquanto pegava a mão de Vinícius e tirava o anel atual.


- Você está me pedindo em casamento? - Ele riu da situação, mas seus olhos estavam molhados.


- Ainda não, mas no dia da nossa formatura nós estaremos com anéis de noivos no dedo - Tirei seu anel e coloquei o novo - Você pode esperar até lá?


- Por você eu espero minha vida inteira - Ele pegou minha mão tirando o anel antigo e substituindo pelo novo - Eu te amo!


- Eu te amo mais que a mim mesmo - Nos beijamos sem nenhuma pressa, um beijo apaixonado repleto de carinho e delicadeza.


- Vamos jantar antes que eu comece a chorar - Vinícius limpou as lagrimas que estavam começando a se formar e se levantou me puxando junto.


- Então vamos - Fomos o caminho para o restaurante de mãos dadas, muita gente que passava ficava encarando, mas eu não ligava, tinha o amor da minha vida do meu lado e era tudo isso que importava.


Nosso jantar foi bem agradável, não tinha como não sorrir e se sentir bem com Vinícius do lado, por cortesia da casa serviram champanhe para nós e ainda bem que não pediram nossas identidades, voltamos para casa levemente embriagados e isso foi como jogar álcool na fogueira que era Vinícius. Sofia havia levado Maria para dar uma volta em uma praça então a casa estava vazia, antes de fechar a porta ele já estava me agarrando por trás me enchendo de beijos do pescoço e sua mão subia e descia pelo meu corpo, foi um pouco difícil subir as escadas, mas quando chegamos no quarto toda dificuldade valeu a pena. Vinícius me jogou na cama tirando toda minha roupa e depois a sua, se ajoelhou no pé da cama e começou a me chupar com muito desejo, ele não demorou muito e se levantou, me puxou pelo braço me fazendo levantar também, ele foi até o criado mudo e pegou um vidro de lubrificante e foi passando no seu membro, jogou o lubrificante em cima da cama e me empurrou até a parede onde me beijou ferozmente e me levantou fazendo com que minhas pernas se prendessem em suas costas.


- Você é tão gostoso - Falou no meu ouvido enquanto encaixava seu pênis em mim - Eu te amo tanto - Ele começou a socar enquanto eu apoiava minhas costas na parede.


- Eu também te amo muito! - Quanto mais rápido ele ia mais eu gemia - MAIS RÁPIDO! - Eu exigia e ele atendia.


Vinícius se virou e foi caminhando até a cama onde eu caí de costa e ele por cima de mim, mas sem tirar seu pau continuou a socar aumentando a força das estocadas, seu gemidos denunciavam que ele estava perto de gozar, mas eu não queria que ele fizesse isso ainda, o abracei e girei nossos corpos fazendo com que eu ficasse por cima, me levantei tirando seu pênis de dentro de mim e fui para o pé da cama, ele também se levantou e veio para perto de mim.


- Fica de joelho! - Ordenei para ele e pela sua cara ele estava adorando, Vinícius se ajoelhou e eu agarrei seus cabelos enquanto batia com meu pau no seu rosto.


- Se eu soubesse desse seu lado já tinha te embriagado faz tempo - Ele tinha razão eu não estava no meu normal.


- Cala boca e me chupa - Encaixei meu pau na sua boca e comecei a estocar, acariciava seus cabelos e enquanto fodia sua boca até sentir que estava perto de gozar, o empurrei de leve com um pé e ele caiu para trás - Fica de quatro para mim! - Ele nem pensou duas vezes e atendeu meu desejo, ali mesmo no chão ele empinou a bunda para mim que apenas caí de boca, passei a língua por toda a região o deixando lubrificado, estava de joelhos atrás dele e fui pincelando sua entrada - Pede para eu te comer! - Dei um tapa na sua bunda.


- ME COME! - Pediu ele e assim fiz, o penetrei de uma vez arrancando vários gemidos dele, agarrei em sua cintura e fui socando rapidamente, era possível ouvir apenas o barulho dos nossos corpos em contato e os gemidos de ambas as partes. Pouco tempo depois cheguei ao meu ápice de excitação, joguei minha cabeça para trás e gozei fartamente dentro de Vinícius, fui diminuindo o ritmo das estocadas até parar, saí de dentro dele e deitei no chão mesmo - Está satisfeito?


- Por enquanto sim! - Levantei minhas pernas para ele que veio rapidamente ao meu encontro, encaixou-se em mim e iniciou um vai e vem frenético - EU TE AMO! - Falei entre um gemido e outro.


- Eu… Te… AMO!! - Ele gozou e caiu sobre mim, o abracei e ficamos assim por algum tempo.


- Ei, vamos tomar um banho antes que você durma! - Ele levantou o rosto e me beijou, seu cheiro era rapidamente inalado pelo meu nariz como uma espécie de droga, eu realmente amava de todo meu coração aquele moleque.


- Só se você me der banho por que eu estou sem forças - Ele foi levantando lentamente e eu fiz o mesmo, peguei sua mão e o puxei até o banheiro, liguei o chuveiro e comecei a ensaboar todo seu corpo, lavei dos seus cabelos aos seus pés, ele realmente estava cansado, pois de vez em quando ele cochilava e era preciso que eu o chamasse, desliguei o chuveiro e sequei-o com uma toalha e saí puxando até minha cama, o deitei e vesti-o apenas com uma cueca, voltei para o banheiro e tomei um banho caprichado, me sequei e vesti uma cueca, fui até a cama e ele já estava dormindo de costas para mim, me deitei e o abracei por trás, dei um beijo em seu pescoço e apaguei logo em seguida, esquecendo até mesmo que havia aula no dia seguinte.


Não deixem de comentar! Um abraço a todos e se Deus quiser até amanhã!!

Vício em pornografia? Saiba como parar!
eBook - Como Provocar Orgasmos Femininos?
A Máquina De Vendas Online