Olá meus queridos leitores e minhas amadas leitoras. Há muito não escrevo para vocês, mas hoje voltei para deixar mais uma historinha recém vivida. Espero que gostem e aproveitem bastante. Se alguém quiser me escrever para conversar, criticar, elogiar, xingar, ou só trocar experiências, fiquem a vontade, meu endereço de e-mail é gpprazeres@gmail.com. Boa leitura a todos.


Era sábado, cinco horas da tarde, depois de passarem a tarde paquerando, bebendo e se divertindo no barzinho, eles voltaram para o hotel a fim de descansar um pouco para a noite que se sucedia. Os seis rapazes se dividiram e três quartos e cada um seguiu seu caminho. Fernando foi logo dormir, enquanto Guilherme resolveu seguir para a piscina juntamente com os outros para continuarem a conversa e a bebedeira. O noivo foi o primeiro a sair para o quarto, queria aproveitar a noite ao máximo. Pouco depois Guilherme e Gabriel seguiram cada qual para o seu quarto, deixando Rômulo e Pedro na piscina.


Depois do descanso merecido, todos se encontraram no lobby do hotel. Todos, exceto um, Rômulo, que não aguentou a tarde de bebidas e ficou dormindo. Rumaram em direção a boate mais conhecida da cidade. Amontoados no taxi, chegaram na boate, mas não era qualquer boate. Era uma casa de diversão adulta, com mulheres seminuas dançando em seu pole dance. Eles estavam extremamente excitados. Aquela noite prometia ser inesquecível.


Já começaram a se divertir na entrada, brincando com as garotas que estavam do lado de fora fazendo gracejos e anunciando a despedida de solteiro do amigo. Eles pagaram a entrada e tiveram uma recepção de honra. Já estavam bem animados e ocuparam um dos cantos reservados da casa. Logo abriram uma garrafa de whisky e continuaram a beber. As meninas iam e viam, mas o noivo não escolhia nenhuma delas para sua primeira dança de última noite de solteiro.


Pedro era o mais abusado dos rapazes. Mal a noite tinha começado ele já tinha tirado a blusa e ficava dançando para todas as moças que passavam pela mesa. As garotas de divertiram e simpatizaram com o grupo mais animado da casa e, mesmo sendo preteridas pelo noivo, ficavam em volta dançavam com os outros. Todos estavam muito animados e brincavam com as moças oferendo bebidas e apalpando-as.


Gabriel estava apressado e foi o primeiro a escolher uma garota para algo mais. Uma linda morena, mais alta que ele com um corpo maravilhoso, seios fartos com silicone e com largo quadril harmonizando com uma bunda enorme e redonda. Ela estava vestida apenas com uma calcinha fio dental realçando sua bunda grande e redonda. Antes de subirem para os quartos Gabriel e sua morena ainda assistiram a primeira dança no colo do noivo.


Ao som de um remix, uma loira com cabelos pintados de vermelho começou a sua apresentação para o noivo. Ele estava sentado no sofá e os amigos e outras garotas em volta instigando a dança. A dançarina veio rebolando e andando em direção a ele, pousou um pé no sofá em em frente a ele e rebolou. De imediato ele atirou seu rosto no meio das suas pernas. A turma foi a delírio. Ela girou seu corpo e começou a tirar a parte de cima de sua roupa enquanto rebolava esfregando sua bunda suavemente sobre o volume na calça do noivo.


Ele a segurou pela cintura e apertou seu corpo contra o dela. A ruiva se libertou das mãos do noivo e voltou a fazer sua dança em pé. Em seguida subiu no sofá, ficando em pé em frente ao noivo. Sua buceta estava no rosto dele e, apesar de ainda protegida pela calcinha, ele conseguia sentir seu cheiro. Ela esfregava sua buceta em seu rosto e ele deixava a língua de fora lambendo tudo que era possível. Novamente ela o afastou, dessa vez pelos cabelos e sacudiu o dedo proibindo ele de se mexer, mas o olhar safado dela, só indicava que ele deveria continuar. Ela então desatou os nós na lateral da calcinha e a deixou cair sobre seu corpo. Ele ainda passou a língua pela sua buceta, mas a música acabou.


Depois da dança, Gabriel e sua morena subiram para um reservado. Chegando lá, já partiram direto para o sexo. As roupas foram arrancadas rapidamente. O rapaz afoito colocou a garota de quatro e a penetrou rapidamente. Ela rebolava e gemia gostoso, mas isso era desnecessário para ele. Com alguns movimentos já tinha gozado. A moça extremamente profissional gritava e gemia como se tivesse sido a melhor transa se todas. Ele caiu fatigado na cama e ela passou o resto de sua hora tentando animá-lo novamente, mas seus esforços foram em vão. Ela mexia, punhetava e esquentava ele com sua boca, mas era inútil. Voltaram então pra boate antes mesmo de completar a hora.


Lá na boate a animação era intensa. A primeira garrafa de whisky já tinha chegado ao fim, as garotas estavam bem mais íntimas e todos estavam super animados. Guilherme dançava e se esfregava com uma morena de olhos verdes, cintura fina e seios fartos, trocando beijos e carícias. Pedro estava sentado no sofá com outra garota com seios para fora do biquíni sentada em seu colo, Fernando conversava de canto com outra garota que enfiava a mão por dentro de sua calça acariciando seu pau e o noivo estava em sua segunda dança sensual.


Gabriel sentou-se próximo ao noivo para assistir sua dança. Dessa vez ele estava bem mais animado. Era visível o volume em sua calça e sua cara de felicidade. Outras garotas também gritavam. E aplaudiam a colega que conseguiu levar o noivo a loucura deixando a cueca dele completamente molhada. Essa era mais experiente que a primeira. Corpo esquio, seios pequenos, mas redondos e rosados. Cabelos loiros que iam até a cintura, olhos verdes reluzentes e uma boca tentadora. Em cima do sofá, descia e subia esfregando sua bunda deliciosa na boca e nariz do noivo que a lambuzava toda. Ele nem se movia, apenas esticava a língua e deixava que a dançarina fizesse todo o trabalho.


O noivo estava em êxtase. Queria transar com a mulher ali mesmo. E parecia que esse também era o desejo dela. Completamente nua após o fim da sua dança, ainda estava com as pernas entrelaçadas a cintura dele esfregando sua buceta carnuda no membro duro dele, trocando um longo beijo. Os amigos resolveram investir no noivo e o casal subiu pra um dos reservados. Ele já estava decidido em transformar aquele último fim de semana solteiro na sua real despedida pra se entregar a uma única mulher.


No reservado, a garota já completamente nua começou a fazer outra dança para o noivo sentado na cama, mas não era a roupa dela que tirava dessa vez, mas sim a dele. Começou pela camisa, tirando de uma só vez. Em seguida foi para calça, agora mais lentamente, deixando seus pelos ouriçados. Ela viu a cueca molhada, mas seu membro ainda estava duro. Começou a mordê-lo e a passar a língua por cima. A sensação era boa. Abaixou-a suavemente passando as unhas por entre suas coxas.


Ela levantou-se e foi buscar uma camisinha. Segurou na cabeça e começou a desenrolar lentamente com os lábios, ajudando com os dedos. Montou sobre seu corpo e começou a cavalgar lentamente. Fazendo sua bucetinha carnuda engolir aquele pau grosso, centímetro por centímetro. Ela gemia baixinho enquanto ele alisava todo seu corpo. Apertava e chupava seus seios.


Rebolava gostosamente sobre seu pau gemendo baixinho. Seus olhos fechados e a mordida nos lábios davam a impressão de que o prazer era real, mas ele não se importava. Estava extremamente excitado para questionar qualquer coisa. Ele se deitou e ela continuava a rebolar e cavalgar.


Ele voltou a se levantar, ficou de pé com ela presa na sua cintura e depois deitou-a na cama. Ele penetrou duas vezes e depois ela girou o corpo. Ficou de quatro na cama e ele começou a fodê-la por trás. Segurava sua cintura e socava com força. Ela abaixou o corpo ainda mais, encostando os seios e ombros na cama, deixando o cuzinho exposto e a bunda aberta. Ele deu tapas e apertou sua bunda. Mas ela puxou sua mão para acariciar seu cuzinho enquanto abria mais ainda.


“Hoje você vai comer um cuzinho gostoso”. Falou enquanto olhava com cara de safada para trás. “Cortesia da casa”. E assim esticou a mão por entre as pernas, tirou o pau dele de sua buceta e posicionou na entrada do cuzinho!!


Começou a penetrá-la lentamente enquanto ela forçava para trás. Chegava até ao fundo e ela urrava loucamente. Depois de ficar completamente encaixado confortavelmente, começou a meter com mais vontade, entrando e saindo ferozmente. Ele queria gozar, estava chegando ao êxtase e ela pediu que gozasse eu seu rosto. O noivo prontamente atendeu seu pedido, se levantou na cama, ela se ajoelhou em sua frente, tirou a camisinha de uma vez e o jato de porra explodiu em seu rosto. Gozou rios de sémen.


Ela passava os dedos brincando com a porra que escorria por seus lábios. Ele deitou-se na cama e ela foi se limpar. Quando voltou, ele estava quase dormindo, mas ela não podia deixar que isso acontecesse, como os amigos dele tinham lhe dito, teria de ser inesquecível. Ela então sentou-se ao seu lado e começou a acariciar seu pau mole. O noivo nada fazia, apenas a deixava brincando com ele. Ela apertava e masturbava, mas as reações eram insignificantes. Ela então começou a beijá-lo e a passar a língua por toda a extensão do seu membro.


Ele começou a crescer dentro de sua boca. Aumentou o ritmo e subia e descia com sua boca engolindo seu pau. O noivo nada fazia. Ela acariciava suas bolas, punhetava e chupava gostosamente. Passava a língua por todo seu membro deixando ele louco de tesão. Sua língua quente percorria desde a cabeça roxa e inchada, descia por toda a extensão de seu membro, aconchegava as bolas dentro da boca, continuava a descer lambia a parte de trás do saco e voltava a subir engolindo o pau novamente. Ela chupava com vontade e sem parar nem para respirar. O noivo estava sem forças estirado na cama até para anunciar o gozo. Inundou a boca dela com seu leite. Ela não parou. Continuou chupando e engolindo toda sua porra. Ele amoleceu lá dentro. Depois disso se vestiram para descer. A noite já passava das quatro da manhã e estava chegando ao fim.


Na boate o clima estava bem quente. Dos quatro amigos que ficaram lá, apenas Gabriel não tinha mais forças e estava quase cochilando com uma das garotas com a mão por dentro de sua calça massageando o seu pau.


Fernando continuava em seu canto trocando beijos e carícias com outra garota. A calça dele já estava no joelho. Ela o acariciava sensualmente. Ajoelhada a sua frente, massageava seu pau com suas mãos, braços e seios. O posicionava entre eles e simulava uma penetração. Ele batia seu pau contra o rosto dela e ela sorria com cara de safada. No auge da sacanagem ele gozou. Seus jatos molharam seu rosto, seios e barriga. Logo ela o deixou também sem forças em seu canto.


Pedro parecia que estava ligado na tomada. Dançava na pista só de cueca com mais duas garotas se esfregando nele. Ele as apalpava a cada peça de roupa que elas tiravam ele prendia em sua cueca. No ponto alto da dança as roupas dela pesavam em sua cueca. Ele a abaixou um pouco deixando o pau duro pra fora e pendurando as vestimentas nele.


Guilherme estava próximo. Amarrado pelos braços de costas para o o pole dance sentado no chão. Uma garota dançava sobre ele usando seu corpo como sustentação. Outra ia arrancando sua roupa quando a primeira saia para fazer sua performance longe dele. No seu último retorno, Guilherme estava com as calças no tornozelo já e seu membro estava a mostra completamente duro. Ela subiu no pole dance e começou a descer de cabeça para baixo. Seus seios roçaram o rosto dele que o chupou ferozmente. Ela retribuiu engolindo de uma só vez seu membro por completo. Sentiu seu membro bater no fundo da garganta dela.


Ela o retirou da boca e continuou descendo. Esfregava sua buceta no rosto dele. Continuou descendo passando seus seios fartos pelo pau dele e ele mordia a parte interna da coxa dela. Quando terminou de escorregar pelo corpo dele, ela girou sobre si, ficando sentada no colo dele. O pau de Guilherme entrou de uma só vez na buceta dela. Ela rebolou uma vez e se levantou lentamente deixando-o na vontade sozinho na pista.


A noite já tinha chegado ao final quando o noivo se juntou aos amigos. Eles comemoraram como se fosse um gol em final de campeonato. Fernando estava estirado no sofá já sem forças para nada. Pedro deu uma volta olímpica na boate só de cueca com uma morena pendurada nas suas costas. Gabriel estava sentado no sofá ao lado de Fernando, mas uma mulher estava em seu colo.  E Guilherme sendo desamarrado do pole dance por uma das dançarinas.


Os amigos se reuniram, brincaram ainda com algumas garotas, mas logo em seguida pagaram as contas e foram embora. Uma noite inigualável..

Vício em pornografia? Saiba como parar!
eBook - Como Provocar Orgasmos Femininos?
A Máquina De Vendas Online