Oiiii Meus amadinhoss!!! Trouxe mais uma parte da minha historinha pra vocês♥♥♥! Espero que gostem!! ♥♥


••••••••••••••


Narrado por Luka:


Estava saindo de casa pra ir pro colégio. Dei tchau pra minha mãe que estava sentada na sala com uma blusa rosa com o desenho de um gatinho e um short jeans perolado nos bolsos. Cass provavelmente estava no quarto tendo uma batalha com a preguiça.


Saí de casa e iria encontrar a Nath na casa dela, mas na metade do caminho a ví vindo em minha direção.


Eu- Ué, eu iria te encontrar na sua casa!


Nath- Mas eu mandei uma mensagem dizendo que eu iria te encontrar na sua casa.


Eu- Mas eu não recebi nada. - peguei meu celular e mostrei à ela. - Olha.


Ela vasculhou meu celular de cabo a rabo e depois me devolveu.


Nath- Deve ser algum problema com a operadora. Vamos logo antes que nos atrase.


Chegamos na escola e ela estava vazia. Estranho… Uma escola incrivelmente grande, com centenas de alunos e no meio da semana sem ninguém? Muito estranho.


Nath- Está vazia. - entramos na escola e caminhamos pelos corredores. - Será que não tem aula e ninguém nos avisou?


Eu- Deve ser. - abracei meu peito e me encolho. Aquela escola é assustadora quando está vazia.


Andamos mais um pouco até que escutamos um barulho de algo metálico caindo.


Eu- O que foi isso? - dei um pulo pra frente ficando bem ao lado da Nath.


Nath- Deve ser alguém ou um fantasma querendo sugar nossa alma e nos carregar pro submundo. - dei um tapa nela que riu.


Eu- Para! Você sabe que isso é assustador!


As risadas dela ecoavam por todo o corredor.


De repente no fundo do corredor escuro, onde ficavam os armários, surgiu uma figura de forma masculina meio que andando lentamente e meio curvada com as mãos cobrindo a barriga.


Sombra- Socorro… por favor… me… ajudem. - murmurou e caiu ajoelhado no chão.


Eu e Nath olhávamos estáticos para o cara ajoelhado. Ví um líquido escuro e espesso saindo por entre seus dedos. Por mais que eu forçasse a vista não conseguia ver as feições do homem pela falta de luminosidade do corredor.


Sombra- Me ajudem… por favor…


No mesmo instante senti um aperto muito forte no peito, como se uma adaga molhada num rio de lava atingisse meu coração.


A voz do homem era estranhamente familiar. Nós dois continuávamos parados estáticos, não conseguia me mover. A figura caiu deitada no chão e meus olhos se encheram de lágrimas. Minha vontade era de chorar muito, meu corpo não saia do lugar e a Nath não tirava os olhos da figura deitada inerte no chão.


Uma possa do liquido preto se formou em volta do homem, deduzi que fosse sangue e isso me assustou. Aquele líquido preto foi se transformando em fios de luz verde que subiam e desapareciam ao contato com o teto da escola. O corpo sem movimento do cara foi coberto por uma camada de luz verde que brilhava pulsante como uma estrela. Era incrivelmente lindo!


Por impulso olhei pra baixo e me assustei (de novo) ao ver meus pés sendo cobertos por faixas de luz azul.  Olhei meus braços e minha mão exalava o que parecia vapor azul. Me virei pra Nath e ela estava na mesma situação, mas a única diferença era que a cor da luz tinha a cor amarela meio alaranjada, tipo um dourado bem brilhante. Ela olhava com a boca aberta para seus pés e suas mãos que também exalavam um vapor dourado.


Quando me virei pra frente me deparei com um corpo bem a nossa frente. Olhei aquele corpo belo, o abdômen bem definido que liberava traços de vapor verde claro pelos gominhos bem desenhados. O que me chamou a atenção foi o grande corte que tinha alí, parecia ter uns trinta centímetros e estava aberto e não havia sangue. Deslizei meus olhos pelo peitoral e quando iria ver o rosto, tudo rodou e ficou preto


Acordei com um pulo e Nath estava ao meu lado com uma cara de sono. Estávamos sentados na minha cama, tudo parecia dentro do normal… Era somente um sonho.


Nath- Nossa, tive um sonho bem estranho. - se espreguiçou.


Eu- Eu também. Sonhei que estávamos na escola e não tinha ninguém.


Nath- É, eu também! Nós entramos e tava tudo escuro e…


Eu- E apareceu uma silhueta no final do corredor. - interrompi, ela me encarou e continuou.


Nath- Estava pedindo ajuda e caiu no chão numa possa de sangue.


Eu- Uma luz verde cobriu o corpo e saía fumaça dos nossos braços…


Nath- E faixas de luz dos nossos pés!


Eu- Ai meu Deus!


Nath- Sonhamos a mesma coisa!


Eu- Você viu o rosto do cara?


Nath- Não, quando eu olhei tudo girou. Mas sei que ele era gostoso!


Eu- É sério Nath, ele tinha um corte enorme na barriga.


Nath- Um corte horrível! - fez uma careta.


Eu- Se lembra do que aconteceu ontem?


Nath- Mais ou menos. Me lembro de luzes e flashes de luz, seus olhos brilhando e o homenzinho verde.


Eu- Então foi tudo real?


Nath- Acho que sim.


Me levantei da cama e senti minhas pernas meio leves. Estava me sentindo estranho, sei lá, mais disposto.


Nath se levantou e esticou as pernas. Tinha algo diferente nela, a olhei dos pés a cabeça e percebi o estranho… O cabelo dela estava com duas cores… Castanho claro e algumas mechas avermelhadas, parecia meio… brilhante.


Eu- Nath, seu cabelo está meio… diferente.


Nath- Claro, acabei de acordar, meu cabelo tem que estar diferente. - se levantou e abriu a janela.


Eu- Não, eu quero dizer que ele está diferente tipo, brilhante e com duas cores. - ela se virou e me encarou.


Nath- Olha quem fala, seu cabelo tá… iluminado!


Corri pro espelho, que também é a porta do meu guarda-roupa. Meu cabelo castanho estava mais claro e com mais brilho. Adorei o novo estilo iluminado, parecia que meu cabelo estava cheio de glitter, ficou o máximo!


Nath apareceu ao meu lado e seu cabelo estava castanho claro e com mechas avermelhadas que reluziam à luz do sol que entrava no quarto. Nossos fios de cabelo estavam reluzentes, brilhando, mas não numa intensidade tão alta, era como se tivéssemos feito uma super hidratação.


Nath- Amei! Ficou foda!!


Eu- Maneiro! - passei a mão pelo meu cabelo desgrenhado. - Tá até macio!


Nath- Nem vou mais precisar ir no cabeleireiro! Tô muy linda! - eu ri.


Eu- Vou tomar um banho rapidinho e já volto. - saí da frente do espelho e tirei a camisa.


Nath- O Luka? - chamou


Eu- O quê?


Nath- Cadê o corte que tinha aí nas suas costas?


Eu- Tá aqui… - pus a mão na minhas costas mas não senti nada. - Eu acho.


Voltei pro espelho e tentei ver, mas realmente não estava alí, sumiu, estava liso. Como é possível um corte daquela estrutura sumir assim de um dia pro outro?!


Nath- Já cicatrizou e desapareceu!


Eu- Peraí, tem muita coisa estranha acontecendo! É muita coisa pra mim processar!


Nath- Maneiro! Super regeneração!


Eu- Chega, vou tomar meu banho.


Quando saí do banho ainda de toalha, Nath pulava na minha cama e meu celular estava na beirada pronto para cair no chão.


O celular caiu da cama e antes que atingisse o chão eu o peguei ainda no ar.


Nath- Uau, que velocidade!


Eu- Quase que meu celular se espatifa no chão!


Nath- Belo dote. - e riu.


Olhei pra baixo e minha toalha havia caído quando corri, eu estava pelado no meio do quarto e na frente da Nathalie. Minha toalha estava em frente à porta do banheiro há metros de mim. Me virei com o rosto queimando de vergonha.


Nath- Bela bunda também! - riu mais ainda.


Eu- Para de olhar! - andei de costas pra ela até a porta do banheiro e peguei a toalha.


Nath- Como fez isso? - perguntou parando de rir.


Eu- Sei lá. Eu saí do banheiro e ví você pulando e meu celular quase caindo da cama, depois eu tava aí e peguei o celular no ar, foi muito rápido!


Nath- Ontem eu tava no jardim esperando seu irmão voltar da dona Marcia , aí eu escutei você gritando meu nome. Corri e quando fui ver eu já estava na sala.


Eu- Vamos esquecer essas maluquices e descer pro almoço.


Vesti minhas roupas e a Nath foi tomar banho. Descemos e encontramos a Jane, Cass e minha mãe na mesa.


Sílvia- Boa tarde dorminhocos.


Jane- Dormiram bem?


Nath- Foi uma noite bem longa.


Eu- E estranha, mas nada de importante.


Almoçamos e fomos dar uma caminhada pela rua. O dia andou normalmente… e quando digo “normalmente” quero dizer “nada de estranho” ou “nada de anormal” aconteceu durante o resto do dia.


O Tommy não me ligou e não mandou nenhuma mensagem, o que me deixou triste. Resolvi então mandar uma mensagem no Whats pra ele. Ele não respondeu, então desisti.


A Nath teve que ir pra casa porque a tia Martha pedia socorro com os enfeites de borboleta, vida de produtores de eventos é assim, preparar e organizar os enfeites…


Hora de ir dormir! Amanhã tem mais um dia de aula então é hora de descansar e repor as energias, mesmo que eu não esteja com um pingo de sono, ainda me sinto bem disposto.


Me virei pra lá e pra cá na cama lembrando dos eventos estranhos que aconteceram, até que finalmente consegui dormir.


.


.


•••••••••••••••••••••


.


.


Narrado por Guilherme:


É o maior sacrifício conseguir levantar da cama no domingo, e nesse não foi diferente, é muita preguiça pra uma pessoa só!


Quando finalmente consegui levantar, fui lavar o rosto e escovar os dentes. Desci pra cozinha e ataquei o pote de biscoitos de chocolate.


Valquíria- Não quer esperar o almoço senhor Guilherme? - Valquíria, nossa cozinheira estava andando pra lá e pra cá com vários pacotinhos de temperos que eu não faço a menor idéia do que são ou pra que servem.


Eu- Não, tô bem assim. - ela deu de ombros e voltou a remexer as panelas.


Devorei metade dos biscoitos do pote e peguei na geladeira uma garrafa de leite e bebi direto no gargalo.


Valquíria- Quer que eu prepare um suco? Tem de uva que o senhor adora.


Eu- Não, tô bem assim.


Beatriz- Guilherme, quer parar de ser mal educado! - minha mãe tomou a garrafa de leite da minha mão. - Não podia pegar um copo?!


Eu- Não, tô bem assim.


Beatriz- Quantas vezes ele já disse isso? - perguntou e Valquíria levantou três dedos.


Otto- Senhora Beatriz, telefone. - nosso queridíssimo mordomo se juntou a nós na cozinha.


Beatriz- Quem é, Otto?


Otto- É da empresa senhora.


Beatriz- Lá vem problema!


Ela saiu da sala, eu peguei a garrafa de leite e terminei de beber. Sentei-me no balcão e troquei algumas mensagens com meus amigos.


Diogo- Vamo zoar quem amanhã cara?


Eu- Ninguém. Levei uma suspensão e vou ficar em casa o resto da semana.


Diogo- Tu não me disse o motivo de ter empurrado aquele moleque.


Eu- Eu disse que não sei.


Diogo- Isso não é resposta.


Eu- Só senti raiva por ele ter me desafiado.


Diogo- Não foi ele que te desafiou, foi a amiga gata dele.


Eu- Tanto faz. Eu não iria bater nela, então descontei nele.


Diogo- Isso tá meio estranho. Ou tu gosta dela pra deixar ela livre de uma lição, ou tu gosta dele pra ter tanta raiva.


Eu- Que isso rapá! Eu sou macho! Muito macho!!


Diogo- Acho que tu não quer aceitar que gosta dele e tá transformando isso em raiva!


Eu- Para de falar besteira! Eu já pedi desculpas pra eles na sexta!!


Diogo- Isso não muda nada. Eu tenho um primo gay e ele vive lá em casa com a minha irmã, não tenho problema nenhum se você estiver apaixonado.


Eu- Tchau Diogo!! >: (


Esse cara enlouqueceu! Até parece que eu iria me apaixonar pela Nathalie! E muito menos pelo Luka, Por seis motivos: Primeiro - ele tem namorado; Segundo - ele é homem; Terceiro - ele é homem e tem pinto!; Quarto - eu sou macho; Quinto - muito macho!; Sexto - muito macho mesmo!!!


E eu não sou maluco de namorar a Nathalie. É capaz de eu terminar o namoro e ela quebrar meu pescoço, arrancar minha cabeça e pendurar no varal! Ela me dá medo!! Ainda mais depois que ví aquele soco que ela deu naquele cara do beco. O cara caiu coma boca torta e sem a metade dos dentes!


Dona Beatriz entra na cozinha com uma cara não muito boa e eu interrompi meus pensamentos.


Beatriz- Meu filho, precisamos conversar.


Lá vem bomba!


Eu- O que foi agora?


Beatriz- A nossa viagem pra Itália foi adiada pro próximo domingo, será por um mês. - olhei sério pra ela.


Eu- Eu não vou nessa viagem.


Beatriz- Mas terá que ir. Dei as férias pros empregados e não vou te deixar sozinho aqui.


Eu- Eu já disse que não vou! Tem os meus amigos, a escola…


Beatriz- Amanhã à tarde eu irei falar com o diretor Alberto, e aqueles não são seus amigos de verdade, eles são colegas, o que é bem diferente.


Eu- Não importa!! Eu já disse que não vou nessa droga de viagem! - dei um soco no balcão e subi pro meu quarto.


Eu não vou nessa viagem de jeito nenhum! Nem se o presidente da Itália vir à minha casa e implorar de joelhos pra mim ir. Eu não vou!!!


Ninguém vai me obrigar a ir. Tem que ter um jeito de me excluir dessa viagem. O Luka me convidou pra ficar na casa dele, mas não vou aceitar. Vai que ele é um assassino em série e eu a próxima vítima!


Não, não pode ser. Não tem como o Luka ser um assassino. Ele é tão gentil, tão meigo, tão corajoso, tão… Mas que diabos eu tô dizendo?!!... Esquece! Vou jogar um pouco!


Liguei meu Xbox e pus o Resident Evil 4. Vou me distrair explodindo a cabeça de uns zumbis.!


.


.


.


•••••••••••••••


.


.


.


Cleitoon,  LC..pereira,  Rapha_Twd ♥ :  Que bom que gostaram<3<3<3… Ainda terá muitas reviravoltas com os personagens. Aparecerá novas pessoas aí que causarão problemas… Agora vou ficar quieto antes que eu conte a história toda! rsrsrs


.


.


.


Eaí gostaram??? Tomara que sim!! Tive uns problemas durante a semana, que estão ficando cada vez mais frequentes, mas fiz correndo essa parte só pra vocês!!!


Deixo aqui o aviso… Por enquanto eu só posso postar no domingo. É muito complicado escrever no caderno, passar pro PC, revisar umas três vezes pra pôr os detalhes esquecidos e depois postar… além dos problemas familiares que não ajudam nem um pouco… Eu também estou sem celular, mas quando eu comprar um novo eu postarei com mais frequência. Um abraço e um beijão pra vocês ( \xcb\x98 \xc2\xb3\xcb\x98)\xe2\x9d\xa44

Vício em pornografia? Saiba como parar!
eBook - Como Provocar Orgasmos Femininos?
A Máquina De Vendas Online