Cap.3


Minhas mãos percorriam todo seu corpo musculoso enquanto nós nos beijávamos. Eu tinha que admitir que a pegada que ele tinha era sensacional, ele segurava minha nuca e guiava minha boca em direção a sua. Nunca em nenhuma relação, eu tinha sido tão submisso e, por incrível que parecesse pra mim, eu estava gostando daquilo. Enquanto ele me beijava sentia seu corpo no meu e agora ele estava com uma mão na minha nuca e outra amassava minha bunda. Fui descendo logo e beijando seu pescoço e dali fui beijando seu abdômen sarado e cada vez chegava mais perto do seu pau que pulsava que tanto tesão. Quando ele achava que ia começar a chupar o pau dele, comecei a beijar suas pernas e ele continuou gemendo e fez agora um pedido:


- Chupa logo esse caralho, por favor - ele fala e me lembro do que Jon me dissera na noite anterior sobre o Gustavo, no modo como ele mandava nas pessoas na prisão, mas aquilo não era uma ordem e sim um pedido. Seu pênis tinha mais ou menos uns 19-20 cm e estava reto e apontado para minha cara. Acima do pau dele se localizavam alguns pelos, nada muito exagerado, e na cabeça do seu pau(que por sinal era bem grande) agora saia uma babinha mostrando como aquele macho estava excitado. Comecei a mamar aquele pau com gosto e arrancava gemidos dele. Ele pegou uma de suas mãos e começou a guiar minha cabeça em um vai e vem gostoso como se fudesse minha boca. Após alguns segundos e se deita no chão e manda eu deitar sobre ele e continuar a chupá-lo. Quando fiz percebi que ele mandou fazer aquilo porque queria fazer um 69. Enquanto eu chupava seu pau, ele chupava meu cuzinho com uma habilidade que eu nunca tinha visto o que fazia eu gemer enquanto minha boca era preenchida por seu membro até que ele manda eu me levantar e tira do bolso da sua calça, que estava do lado da toalha que ele havia trago, e tira uma camisinha, não resisto e pergunto:


- Como foi que conseguiu isso?


- Ah isso? Isso foi fácil! Falei pra você que comando tudo aqui, tenho muita influência! Você ficaria admirado com o que posso conseguir - ele disse, se exibindo. E eu não pergunto mais nada e vou de novo até ele e o beijo rapidamente no seu ouvido:


- Quero sentir você dentro de mim - eu falei, e nessa hora ele ficou doido e foi me virando. Ele ficou passando seu pau na entrada do meu cu até que ele falou:


- Não aguento mais vou ter que comer essa bundinha agora - ele avisa e então ele começa a me penetrar lentamente e acho, que por isso, não foi tão doloroso. Enquanto seu pau entrava dentro de mim ele começou a beijar meu pescoço. Ele sabia meu ponto fraco agora porque comecei a gemer mais. Agora seu pau estava todo dentro de mim. Ele espera um pouco e começa a meter cada vez com mais velocidade. Ficamos um bom tempo naquela posição até que ele me coloca de frango assado e me penetra olhando nos meus olhos. Nós dois estávamos bastante suados e a qualquer momento alguém poderia entrar lá e encontrar a gente fudendo.


Como se não bastasse todo aquele prazer que aquele macho estava me proporcionando, ele começa agora a por meu mamilo em sua boca. Ele revezava entre um e outro e isso estava me levando a loucura. Meu pau estava duro como nunca e quando ele mordeu de leve meu pescoço, gozei melando todo meu peito e respingando um pouco nele. Ele passa dois dedos na parte da minha porra que pegou nele, pega um pouco da porra que estava no meu peito e coloca esse dois dedos em minha boca fazendo eu limpar seu dedo e chupá-lo como se estivesse chupando seu pau. Vendo isso, ele agora começa a me fuder mais rápido e um grunido ofegante denunciam seu gozo. Ele começa a me beijar ainda com seu pau dentro de mim. Após isso, ele saiu de dentro de mim e um ajudou o outro a se limpar. Ele tirou a camisinha do seu pau e vi uma quantidade considerável de porra lá. Ele me mostrou e falou que fazia tempo que não gozava tão gostoso. Após o banho, ele sai e eu opto por demorar um pouco mais pra não levantar suspeitas.


Fui pra minha cela e fiquei conversando com John que ficava contando coisas que pretendia fazer quando saísse da prisão e cantando algumas músicas norte-americana(muitas das quais eu nem conhecia). Não pude reclamar do meu dia, com exceção da comida que era um lixo.


Ah tarde fui falar um guarda e perguntei se alguém tinha ido me visitar e ele responde que não. O resto da semana se arrastou lentamente e quase me matava de tédio. A única coisa que me mantinha sem tédio eram as longas conversas com John e alguns momentos com Gustavo, e não me refiro só a sexo, ele me apresentou alguns amigos deles e entre eles estava o Allan(O cara que estava fudendo o outro no banheiro dias atrás). Agora podia vê-lo melhor, ele era ruivo, mais ou menos da minha altura, e tinha um sorriso safado de deixar qualquer com tesão. Quando Gustavo me apresentou ele, ele apertou minha mão e deu uma piscada discreta pra mim. Eu estava passando bastante tempo com Gustavo e começava a perceber que algumas pessoas na cadeia não são tão maus como dizem. Não tinha mais dias tão terríveis, aprendi a conviver com as pessoas de lá. Agora só havia uma coisa que me incomodava: Jonas nunca mais tinha dado notícias, nem tinha ido me visitar. Fui falar novamente com o policial e ele respondeu:


- O policial Jonas não pode mais vir ver você - ele fala, e eu imagino que tenha sido alguma ordem de algum policial corrupto. Mas então ele me fala algo me faz com que eu caia e as lágrimas caiam espontaneamente e queimem o meu rosto enquanto eu dou um grito que faz minha garganta doer. Mas nenhuma dor que sinto fisicamente se compara a dor que me enforca e quase me deixa sem ar. Minha cara se apoia no chão e as lágrimas não param de cair enquanto as últimas palavras do policial ecoam na minha mente:


- O policial Jonas morreu duas noites atrás.


Continua…


Pessoal, mais uma vez,muito obrigado pelos comentários!<3


Eai o que acharam desse capítulo??

Vício em pornografia? Saiba como parar!
eBook - Como Provocar Orgasmos Femininos?
A Máquina De Vendas Online